quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Educação no campo será tema de seminário na UFSCar em 2017

 
Serão discutidas, entre os dias 26 e 28 de julho, as Políticas Educacionais para o meio rural

Em 2017, acontecem simultaneamente na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) o I Seminário Internacional e o IV Seminário Nacional de Estudos e Pesquisas sobre Educação no Campo. Serão discutidas, entre os dias 26 e 28 de julho, as Políticas Educacionais para o meio rural, sob o panorama geral da educação no campo no Brasil e na América Latina, com destaque para Cuba e Colômbia.
José dos Santos Neto, pesquisador integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Educação no Campo (GEPEC) da UFSCar e responsável pela realização do evento, conta que a questão da dominação de classes também será tratada. "Espera-se com isto contribuir para a compreensão de como as políticas públicas para a educação rural têm se desenvolvido frente à luta de classes, no contexto brasileiro e latino americano", explica.
Os interessados em apresentar pôsteres, resumos expandidos, relatos de experiência e trabalhos completos podem se inscrever até o dia 31 de março, por meio do site www.semgepec.ufscar.br. Os eixos para participação estão divididos em Movimentos Sociais; Políticas Públicas; Marxismo, Trabalho e Formação Humana; Formação e Trabalho Docente; Administração e Gestão Escolar; Histórias das Instituições Escolares; Educação Especial; Pedagogia Histórico-crítica; e Organização Sindical.
Na página dos eventos na internet também há as orientações para envio de trabalhos, os valores, assim como a programação completa. Estudantes, pesquisadores, profissionais da área e demais interessados no tema podem participar. Aqueles que desejam se inscrever como ouvintes podem realizar a inscrição até o início do evento.

Retrospectiva do Cinema Brasileiro 2016

Programação de 29 de dezembro de 2016 a 4 de janeiro de 2017

 

Retrospectiva do Cinema Brasileiro 2016

Nesta edição, a curadoria das jornalistas Maria do Rosário Caetano e Neusa Barbosa e a equipe do CineSesc selecionou 57 dramas, comédias, suspenses e documentários entre os 116 filmes lançados no período.

Ingressos: de R$ 3,50 a R$ 12.

 

5x Chico - O Velho e Sua Gente (Documentário, DCP, Dir.: Gustavo Spolidoro, Ana Rieper, Camilo Cavalcante, Eduardo Goldestein e Eduardo Nunes, Brasil, 2015, 90 min., 10 anos)

Uma jornada afetiva pelas águas e pelas histórias das comunidades ribeirinhas do Rio São Francisco. Cinco diretores acompanham o curso do rio desde sua nascente em Minas Gerais, cortando a Bahia, correndo para Pernambuco, até sua foz entre Alagoas e Sergipe. Para cada um dos cinco estados banhados pelo Velho Chico, um olhar diferente. As cinco abordagens formam um caleidoscópio de pessoas e expressões culturais, mostrando que, assim como o Velho Nilo, o irmão africano, e o Ganges, na Índia, o leito do São Francisco é um fato cultural que determinou a vida e os costumes de cerca de 16 milhões de brasileiros.

Quinta-feira, 29/12, 15h.

 

Histórias de Alice (Drama, DCP, Dir.: Oswaldo Caldeira, Brasil/Portugal, 2009, 94 min., 14 anos) 

Quando Alice morre, seu filho Lucas passa a buscar novos sentidos para a vida. O homem, um cineasta, decide então cruzar o Oceano Atlântico para encontrar as raízes ancestrais de sua família em Portugal, tentando entender melhor o lugar de onde veio sua mãe.

Quinta-feira, 29/12, 17h.

 

O Gigantesco Ímã (Documentário, DCP, Dir.: Petrônio Lorena e Tiago Scorza, Brasil, 2014, 72min., 10 anos)

O documentário retrata o percurso de Evangelista Ignácio de Oliveira, o "Vanja", um cientista e inventor pernambucano nascido em 1929. Apesar de nunca ter estudado nas escolas, Vanja dedica a sua vida à criação de novas máquinas e à simplificação de máquinas já existentes, além do desenvolvimento de teorias astrofísicas que questionam o conhecimento acadêmico.

Segunda-feira, 12/12, 17h. Quinta-feira, 29/12, 19h.

 

Sinfonia da Necrópole (Comédia Musical, DCP, Dir.: Juliana Rojas, Brasil, 2014, 85 min., 12 anos)

O musical nacional se passa em São Paulo, onde Deodato trabalha como coveiro. Sua rotina muda quando uma nova funcionária chega ao cemitério. Juntos, eles precisam recadastrar túmulos abandonados, mas os mortos não gostam da ideia.

Vencedor dos Prêmios da Crítica do Festival de Gramado e Melhor Trilha Sonora no Festival de Paulínia.

Quinta-feira, 29/12, 21h30.

 

O Shaolin do Sertão (Comédia, DCP, Dir.: Halder Gomes, Brasil, 2016, 100min., 12 anos)

Aluízio Li, um aficionado e alienado por filmes de artes marciais no interior do Ceará nos anos 80, vê seu mundo lúdico e inocente em xeque quando um lutador profissional aposentado (Toni Tora Pleura) resolve desafiar todos os "valentões" da cidade.

Segunda-feira, 26/12, 21h30. Sexta-feira, 30/12, 15h.

 

Vidas Partidas (Drama, DCP, Dir.: Marcos Schechtman, Brasil, 2016, 90 min., 14 anos)
Graça e Raul são casados e apaixonados. Porém, ele perde o emprego enquanto ela avança rapidamente na carreira. A tensão faz com que Raul se torne violento, e agressões passam a ser comuns. O filme é inspirado nas estatísticas de violência contra a mulher no Brasil e no mundo.

Sexta-feira, 30/12, 17h.

 

Fome (Drama, DCP, Dir.: Cristiano Burlan, Brasil, 2015, 90 min., 12 anos)

Em preto e branco, o filme acompanha um morador de rua idoso que vaga por São Paulo carregando apenas um carrinho de compras e alguns pertences. À medida que o homem conversa com pessoas, ele revela fatos de seu passado.

Foi indicado na Mostra Brasil da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Vencedor do Prêmio Especial do Júri de Melhor Ator (Jean-Claude Bernardet) no Festival de Brasília.

Sexta-feira, 30/12, 19h.

 

* Não haverá programação no CineSesc em 31/12 e 1/1/2017.

 

Tardes de Cinema

O CineSesc ficará com sua sala de cinema fechada em janeiro para renovação do bar interno. Serão trocados os vidros com menos divisórias, o mobiliário e os equipamentos do espaço, serão adequados com às normas de acessibilidade.

 

Mas o público do cinema terá a chance de voltar aos anos 1980 nas "Tardes de Cinema", programação gratuita que inclui filmes como "A Garota de Rosa Shocking", "Feitiço do Tempo", "Clube dos Cinco" e "Curtindo a Vida Adoidado", exibidos em sessões às 15h e às 17h – sábados e domingos também às 19h – em uma sala especial no primeiro andar do CineSesc com 20 lugares.

 

Feitiço do Tempo (Digital, Dir: Harold Ramis, 1993, EUA, 103 min., livre)

Um repórter (Bill Murray) de televisão que faz previsões de metereologia vai a uma pequena cidade fazer uma matéria especial sobre o celebrado "Dia da marmota". Pretendendo ir embora o mais rapidamente possível, ele inexplicavelmente fica preso no tempo, condenado a vivenciar para sempre os eventos daquele dia.

Segunda-feira, 2/1, 15h.

 

Peggy Sue - Seu Passado a Espera (Digital, Dir: Francis Ford Coppola, 1987, EUA, 110 min., 14 anos)

Mulher de 43 anos (Kathleen Turner) à beira do divórcio desmaia e volta no tempo (de 1985 para 1960) e vê, entre outras coisas, seu namorado com quem vai se casar e se separar 25 anos depois. Surge então uma questão: se ela vai se separar, deve se casar ou não? Nesta volta no tempo ela tem a oportunidade de transformar o curso da sua vida.

Segunda-feira, 2/1, 17h.

 

De Volta Para o Futuro (Digital, Dir: Robert Zemeckis, 1985, EUA, 116 min., livre)

Um jovem (Michael J. Fox) aciona acidentalmente uma máquina do tempo construída por um cientista (Christopher Lloyd) em um Delorean, retornando aos anos 50. Lá conhece sua mãe (Lea Thompson), antes ainda do casamento com seu pai, que fica apaixonada por ele. Tal paixão põe em risco sua própria existência, pois alteraria todo o futuro, forçando-o a servir de cupido entre seus pais.

Terça-feira, 3/1, 15h.

 

As 7 Faces do Dr. Lao (Digital, Dir: George Pal, 1964, EUA, 99 min., livre)

Chinês gentil e idoso (possui 7322 anos), Dr. Lao (Tony Randall) chega em Abalone, Arizona, com seu circo, que tem atrações únicas (o Abominável Homem das Neves, Merlin, Medusa, Pan, Apolônio de Tiana e outros seres fantásticos). Ele constata rapidamente que a cidade é dominada por um rico rancheiro, Clint Stark (Arthur O'Connell), que alega que em 6 meses não haverá água na cidade, pois o aqueduto está quase inutilizado e o conserto seria de US$ 237 mil. Assim Stark propõe comprar toda a cidade e só Ed Cunningham (John Ericson), o dono do jornal local, se opõe à idéia. Mas em poucos dias o Dr. Lao irá alterar a vida dos moradores de Abalone.

Terça-feira, 3/1, 17h.

 

Os Garotos Perdidos (Digital, Dir: Dir: Joel Schumacher, 1987, EUA, 98 min., 14 anos)

Lucy (Dianne Wiest) vai morar com Michael (Jason Patric) e Sam (Corey Haim), seus filhos, em Santa Clara, uma cidade que tem muitos jovens desaparecidos. Logo os dois irmãos descobrem que uma gangue de motoqueiros está mais morta do que viva, pois estão se transformando em vampiros. Sam tem que trabalhar rápido, pois Michael está se apaixonando por Star (Jami Gertz), uma destas criaturas, e está gradualmente se tornando um deles.

Quarta-feira, 4/1, 15h.

 

Curtindo a Vida Adoidado (Digital, Dir: John Hughes, 1986, EUA, 102 min., livre)

No último semestre do curso do colégio, Ferris Bueller (Matthew Broderick) sente um incontrolável desejo de matar a aula e planeja um grande programa na cidade com sua namorada (Mia Sara), seu melhor amigo (Alan Ruck) e uma Ferrari. Só que para poder realizar seu desejo ele precisa escapar do diretor do colégio (Jeffrey Jones) e de sua irmã (Jennifer Grey).

Quarta-feira, 4/1, 17h.

 

EXPOSIÇÃO

Aurora, o Cinema de Animação

A ambientação Aurora é uma homenagem ao cinema de animação que apresenta, por meio do desenho, o processo de realização de um filme de desenho animado, desde a ideia e os primeiros esboços, até as imagens animadas e a finalização.

Concepção geral e ilustração: Rosana Urbes.

Todos os dias, das 14h às 21h30.








CineSesc faz programação especial de “Tardes de Cinema”, com clássicos dos anos 1980, para iniciar o ano de 2017

 

O CineSesc ficará com sua sala de cinema fechada em janeiro para renovação do bar interno. Serão trocados os vidros com menos divisórias, o mobiliário e os equipamentos do espaço, serão adequados com às normas de acessibilidade.

 

Mas o público do cinema terá a chance de voltar aos anos 1980 nas "Tardes de Cinema", programação gratuita que inclui filmes como "A Garota de Rosa Shocking", "Feitiço do Tempo", "Clube dos Cinco" e "Curtindo a Vida Adoidado", exibidos em sessões às 15h e às 17h – sábados e domingos também às 19h – em uma sala especial no primeiro andar do CineSesc com 20 lugares.

 

Para quem quiser um quitute, o café no hall de entrada continua funcionando.

 

O CineSesc

Desde 21 de setembro de 1979, o número 2075 da rua Augusta, na cidade de São Paulo abriga o CineSesc.

 

Sempre preocupado em dar espaço para o cinema de qualidade que muitas vezes não chega às outras salas da cidade, o CineSesc tem uma programação que inclui grandes e pequenas produções do mundo todo.

 

Para garantir uma ampla gama de longas, médias e curtas-metragens, o cinema exibe estréias exclusivas, mostras e festivais durante todo o ano.

 

Além de fazer o papel de curadoria em mostras especiais, o CineSesc também recebe festivais importantes do calendário cinematográfico paulistano como a Mostra Internacional em São Paulo, o Indie Festival e a Mostra de Curtas Metragens de São Paulo, entre outros.

 

Eventos como debates, encontros, palestras e apresentações acontecem em um auditório com 35 lugares no primeiro andar do CineSesc.

 

No saguão do cinema, durante todo o ano, acontecem exposições e bate-papos especiais com cineastas, críticos de cinemas e especialistas no assunto.

 

Serviço

CineSesc (244 lugares)

Rua Augusta, 2075 – Cerqueira César

São Paulo / SP

Fone: (11) 3087-0500

email@cinesesc.sescsp.org.br

Horário de funcionamento: das 14h30 às 21h30








Inscrições abertas para Rede de Pontos de Cultura UFSCar - São Carlos

Seis entidades culturais contempladas receberão R$ 60 mil cada uma para fortalecer as atividades que já desenvolvem
A Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) lançou a Rede Pontos de Cultura UFSCar - São Carlos, que irá contemplar com R$ 60 mil seis entidades culturais do município com o objetivo de fortalecer as atividades que já desenvolvem. A Rede de Pontos de Cultura UFSCar - São Carlos faz parte do Programa Cultura Viva, criado pelo Ministério da Cultura em 2004 - e que em 2014 foi instituído como Política Nacional de Cultura Viva - com o objetivo de incentivar as entidades culturais de todo o país a formar uma rede de criação e gestão cultural. As inscrições estão abertas até às 18 horas do dia 4 de janeiro de 2017.
Para concorrer, as entidades precisam estar formalmente constituídas e exercendo atividades culturais há pelo menos três anos no município de São Carlos. O edital está disponível no site da Fundação de Apoio Institucional ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Universidade Federal de São Carlos (FAI.UFSCar), gestora do projeto, em www.fai.ufscar.br.
Segundo Carla Silva, docente do Departamento de Terapia Ocupacional (DTO) da UFSCar e integrante da Rede de Pontos de Cultura, a iniciativa visa fomentar o cenário artístico-cultural de São Carlos e fortalecer os grupos já existentes. "Pretendemos promover a articulação para além das entidades contempladas", destaca. A Rede Pontos de Cultura UFSCar - São Carlos também irá mapear ações culturais da cidade e realizar oficinas de formação.
O professor do Departamento de Letras (DL) da UFSCar Wilson Alves-Bezerra, coordenador da Rede Pontos de Cultura UFSCar - São Carlos, explica que ensino e pesquisa são atuações mais conhecidas da Universidade, mas é por meio de projetos de extensão como este que se estreita o relacionamento com a sociedade. "A Rede é um importante projeto de extensão universitária. Esse tipo de atividade permite o efetivo diálogo entre a Instituição e a comunidade do município", frisa Alves-Bezerra.
Dúvidas sobre a Rede Pontos de Cultura UFSCar - São Carlos podem ser esclarecidas pelo email pontosdecultura@ufscar.br. Mais informações pelo site www.pontosdecultura.ufscar.br e no Facebook, em www.facebook.com/pontosdeculturaufscar.

Inscrições na Semana da Imagem e Som estão abertas




  Prazo de inscrição para a Mostra Audiovisual segue até dia 10 de abril e para a Mostra Fotográfica, até dia 3 de abril

Estão abertas as inscrições para a VII Mostra de Produções Audiovisuais e V Mostra Fotográfica da 17ª Semana de Imagem e Som (SeIS) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), que acontecerá de 21 a 26 de abril de 2017. O tema dessa SeIS será Mídia Ativa, e terá como intuito discutir como as mídias (cinema, televisão, rádio, internet, dentre outras), com seus produtos audiovisuais, conseguem mobilizar a população. A SeIS é organizada pelos alunos de graduação do curso de Imagem e Som da UFSCar e, nesta edição, será orientada pela professora Débora Burini, do Departamento de Artes e Comunicação (DAC).
Podem participar da mostra audiovisual realizadores, coletivos, ONGs e estudantes universitários que tenham produzido ou produzam obras audiovisuais de formatos diversos. Podem ser enviados até dia 10 de abril quaisquer materiais audiovisuais de até 20 minutos, referentes ao tema Mídia Ativa, ou seja, obras audiovisuais que abordem a mídia como forma de resistência e luta, tanto em aspectos temáticos como estéticos, em um âmbito de reflexão e discussão. O destaque da mostra dessa edição será a oportunidade de inscrições de produções diferentes de curtas-metragens (clipes musicais, comerciais, reportagens, web séries, vídeos ensaios, etc). A inscrição deve ser feita pelo formulário disponível em https://goo.gl/OgEzo3. O resultado dos selecionados será divulgado no dia 11 de abril na página do Facebook, www.facebook.com/semanadeimagemesom. Mais informações pelo regulamento disponível em http://bit.ly/2gToyZ0.
Simultaneamente à mostra audiovisual, ocorrerá a V Mostra Fotográfica. Podem ser enviadas até 3 fotos que também remetam ao tema da SeIS. Os interessados podem se inscrever até dia 3 de abril preenchendo o formulário https://goo.gl/hH3xtK. Mais informações podem ser obtidas no regulamento https://goo.gl/C6snVh. A página da SeIS tem mais informações www.facebook.com/semanadeimagemesom.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

ESTUDO PARA MISSA PARA CLARICE

CBB-SP APRESENTA ESTUDO PARA MISSA PARA CLARICE - UM ESPETÁCULO SOBRE O HOMEM E SEU DEUS O espetáculo criado e dirigido por Eduardo Wotzik volta em cartaz em janeiro. A peça celebra o lado sagrado de Clarice Lispector em uma comunhão do público com o teatro. Estudo Para Missa Para Clarice - Um Espetáculo Sobre o Homem e Seu Deus retorna em 4 de janeiro, quarta-feira, às 20h, no CCBB SP. O espetáculo de Eduardo Wotzik faztemporada até 1º de fevereiro, com sessões de quarta a sexta-feira, sempre às 20h. Em cena, além do próprio Eduardo Wotzik, estão as atrizes Cristina Rudolph e Natally do Ó, que o ajudam a conduzir o público pelo ritual do espetáculo. Em formato de missa, a montagem une o espaço físico do teatro e todo o seu poder de encantamento ao poder da palavra. Há mais de 20 anos, Eduardo Wotzik começou a receber trechos de textos de Clarice Lispector enviado por duas amigas e atrizes com o intuito de montar um espetáculo. Conforme foi se aprofundando na obra da autora, Eduardo percebeu que vinha escolhendo textos que falavam sobre Deus. Foi assim que surgiu o embrião de Estudo Para Missa Para Clarice traz um arauto e duas beatas claricianas que organizam, professam e processam as palavras de Clarice e recebem os espectadores. Assim como acontece nos templos religiosos, seguindo um missal (que também terá uma versão em braile), o público senta, levanta, reza e canta, como num ritual. Não é a primeira vez que Eduardo dirige a si mesmo em cena. Ele, que iniciou sua carreira no Grupo Tapa (onde atuou como ator, diretor e produtor, enquanto o grupo estava sediado no Rio de Janeiro), diz que, apesar de se definir como um diretor de teatro, gosta de variar de função para afastar o tédio. “Sou um homem do teatro e adoro todas as possibilidades que ele me oferece. Sinto necessidade de visitar novas regiões cênicas de vez em quando. Gosto de mudar de lado, de visão e abrir janelas para fugir do tédio artístico”, afirma o diretor. Sagrada Clarice Eduardo diz que, mais do que uma ode a Clarice Lispector, Estudo Para Missa Para Clarice surgiu como uma necessidade dele dizer ao mundo que a“salvação é pelo risco”. “É preciso dizer não à estupidificação e sobreviver à miséria intelectual e espiritual a que estão nos submetendo. Temas sérios são tratados de maneira superficial e o espaço artístico tem sido usado como um mero passatempo ou entretenimento, em um verdadeiro desperdício de tempo, dinheiro e HD. Clarice Lispector usava uma expressão: “Use-se”. Complemento com o não desperdice-se”, provoca o diretor. Ele também explica que o formato adotado na encenação foi o caminho que encontrou para que a obra chegasse ao público com maior eficácia. “A arte é o melhor remédio para o ser humano: ela nos ajuda a suportar a vida, a consciência da finitude e as doenças. Arte e religião são dois sistemas muito bem bolados pela humanidade. E, enquanto existirmos, lá estarão eles. Estudo Para Missa Para Clarice une esses dois sistemas num mesmo espetáculo e, as temporadas passadas, nos mostraram uma bela comunhão entre a poesia de Clarice, a cena, a música de Gorécki e o público”. “Sinto-me como se realmente estivesse vivendo como um sacerdote e entrando no mundo do sagrado. O público vem conversar após o espetáculo e se diz transformado, realmente tocado. Clarice tem um poder muito mágico de EMOCIONAR as pessoas com as suas palavras. Já fiz diversas coisas no teatro, mas esse trabalho tem sido muito diferente, principalmente no que se refere à essa comunhão DIRETA com o público”, afirma Eduardo Wotzik. Recomendações “Recomendo poucas coisas para preservar a importância das minhas recomendações. O teatro brasileiro está uma merda, perdeu toda a sua importância social e artística. Aqui, não há nenhum interesse por bons espetáculos de ambiciosa proposta. Não perca Estudo Para Missa Para Clarice sobre o “estado de graça”, coisa que, provavelmente, você nem sabe o que é” - Domingos Oliveira. “Não resta a menor dúvida de que Estudo Para Missa Para Clarice é um dos espetáculos mais marcantes e significativos da atual temporal” - Lionel Fischer. “Essa ideia de fazer a missa, uma missa em homenagem, uma missa com, ou uma missa sobre, é uma ideia diabólicamente extraordinária. No final, ficamos diante de uma nova religião, de um novo processo de espiritualidade” - Fernanda Montenegro. Para roteiro ESTUDO PARA MISSA PARA CLARICE - UM ESPETÁCULO SOBRE O HOMEM E SEU DEUS - Reestreia em 4 de janeiro, quarta, às 20 horas, no CCBB-SP. Direção, concepção, edição e texto final - Eduardo Wotzik. Elenco - Cristina Rudolph, Natally Do Ó e Eduardo Wotzik. Direção de Arte - Analu Prestes. Iluminação - Fernanda Mantovani e Tiago Mantovani. Elenco - Cristina Rudolph, Natally Do Ó e Eduardo Wotzik. Música - Henryk Gorécki. Dramaturg - Vittorio Provenza. Diretores Assistentes - Carla Ribas, Daniel Belmonte, Alexandre Varella. Direção de Produção - Michele Fontaine e Jessica Leite. Classificação - 14 anos. Duração - 80 minutos. Ingressos - R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia). Temporada - Até 1º de fevereiro. Quartas, quintas e sextas, às 20 horas. CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL Rua Álvares Penteado, 112 – Centro – SP Próximo às estações Sé e São Bento do Metrô Informações: (11) 3113-3651/3652 Teatro: 130 lugares Acesso e facilidades para pessoas com deficiência física // Ar-condicionado // Loja // Café Cafezal. www.bb.com.br/cultura - www.twitter.com/ccbb_sp - www.facebook.com/ccbbsp Ingresso: R$ 20,00 – inteira, R$ 10,00 – Funcionários e clientes do BB, estudante, professores da rede pública, sênior acima de 60 anos Bilheteria: de quarta a segunda, de 9h às 21h Vendas online: www.ingressorapido.com.br / 11 4003-1212 Estacionamento conveniado: Estapar Rua Santo Amaro, 272 Informações pelo telefone (11)3113.3651 R$ 15,00 pelo período de 5 horas. (Necessário validar o ticket na bilheteria do CCBB.) Traslado gratuito Transporte gratuito até as proximidades do CCBB - embarque e desembarque na Rua Santo Amaro, 272, e na Rua da Quitanda, próximo ao CCBB. No trajeto de volta, tem parada no Metrô República.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Museu do Amanhã comemora um ano de operação com gratuidade no domingo (18)


Em 2016, instituição recebeu cerca de 1,4 milhão de visitantes e mais de 10 reconhecimentos internacionais

Rio de Janeiro, 16 dezembro de 2016
 – O Museu do Amanhã completa um ano de operação com programação especial para o público. No domingo (18/12), haverá gratuidade de ingressos e atividades na área interna e externa. A comemoração inicia às 11h com a Feira “O Banquete”. Cerca de 70 barracas de gastronomia, artesanato, produtos naturais e orgânicos ocuparão os jardins do Museu do Amanhã. Ainda haverá apresentação da Expo Passinho Carioca, roda de samba com Prata Preta, além de  cortejo com outros blocos da região portuária, conversa com os professores Eliane Costa e Luiz Antonio Simas, visitas guiadas pelo Boulevard Olímpico e Cais do Valongo com o historiador Guto Nobre, e ainda uma série de oficinas e atividades educativas. A programação completa está disponível no site.

Em um ano de operação, o Museu do Amanhã superou marcas, conquistou recordes e premiações, tornou-se ícone do Rio de Janeiro e do Brasil. São inúmeros motivos para celebrar. O museu de ciência brasileiro recebeu cerca de 1,4 milhão de visitantes, um número extraordinário para instalações culturais no País, e o triplo do que havia sido previsto inicialmente pela Prefeitura. Além de se consagrar como uma das principais atrações turísticas do Brasil, o Museu do Amanhã passou a ser considerado um local democrático, de acesso a públicos com perfis diversos, uma referência de inclusão social. E ainda atingiu a primeira colocação entre os lugares do Brasil mais fotografados no Instagram em 2016 com base em geotags.
O Museu do Amanhã conquistou notoriedade global ao longo desse primeiro ano com mais de dez reconhecimentos internacionais, incluindo o “Oscar dos Museus”, prêmio britânico Leading Culture Destinations Awards, que elegeu a instituição carioca como o “Melhor Novo Museu do Ano”; e o International Design & Communication Awards (IDCA), condecoração canadense que concedeu uma medalha de ouro e duas de bronze à instituição.
“É um grande orgulho para um museu tão jovem receber tamanho reconhecimento. Em seu primeiro ano de operação, o Museu do Amanhã tornou-se uma referência mundial, atraindo um público que superou todas as expectativas, ultrapassando a marca de um milhão de pessoas. Estes prêmios coroam o esforço de ampliar o debate dos amanhãs possíveis e do que estamos dispostos a fazer por isso. Algo de que amo fazer parte”, celebra Ricardo Piquet, diretor-presidente do Museu do Amanhã e do Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG), organização social qualificada pela Prefeitura para conduzir o contrato de gestão do museu, firmado em 2014.
Um dos dados de maior orgulho foi a constatação de que o Museu do Amanhã tem importante papel de inclusão: muitos dos visitantes não eram frequentadores habituais desse tipo de espaço cultural e 12% nunca haviam estado antes em um museu. Mais do que a oportunidade de ser um local formador de públicos, o Amanhã fortalece a sua  vocação como um indutor de reflexões e centro para o diálogo de muitas vozes da sociedade.

Não podemos nos esquecer, neste momento de celebração, da importante parcela da população brasileira que ainda não frequenta museus, e a diversidade que almejamos passa necessariamente por esta inclusão. Por isso, é motivo de grande orgulho para nós ter recebido mais de 100 mil visitantes que nunca estiveram em um museu antes”, afirma Alexandre Fernandes, Diretor de Desenvolvimento de Públicos do Museu do Amanhã.


Museu do Amanhã em números:
ü  Cerca de 1,4 milhão de visitantes;
ü  Mais de 10 reconhecimentos internacionais – entre premiações, menções honrosas e homenagens de organizações do setor, conferências e seminários especializados nos mais variados países;
ü  1ª colocação entre os lugares do Brasil mais fotografados no Instagram em 2016 com base em geotags;
ü  36 horas de funcionamento ininterrupto no primeiro fim de semana de funcionamento, com 25.473 visitantes;
ü  50 mil pessoas recebidas pelo Programa de Educação, das quais 30 mil são alunos das redes pública e particular;
ü  1.438 grupos atendidos em experiências mediadas;
ü  825 grupos escolares recebidos;
ü  Pesquisa de público realizada pelo Museu: 98% de aprovação, 91% aprova o atendimento e 12% – cerca de 100 mil visitantes – nunca haviam estado antes em um museu;
ü  3.878 pessoas com deficiência já visitaram o Museu;
ü  16 exposições temporárias;
ü  122 atualizações com novas informações, imagens e vídeos na Exposição Principal;
ü  Observatório do Amanhã: 19 artigos publicados, 41 palestras realizadas, 13 exposições virtuais e mais de 250 mil pessoas nos cerca de 600 eventos realizados;
ü  Laboratório de Atividades do Amanhã: realizou 150 atividades, envolvendo mais de 4 mil pessoas, e recebeu mais de 476 mil visitantes nas três exposições realizadas no local.

sábado, 17 de dezembro de 2016

Bar do Museu Clube da Esquina lugar para Comemorar!!!

 

Sabe aquela sensação típica  de  final de  ano? Quem fez até  aqui fez, quem não fez, não faz  mais, então vamos  relaxar! Esse é  o sentimento de todo final de  Dezembro. Não dá tempo de  fazer  dieta, de economizar  o tanto que  queria e vamos ser  sinceros, 2016 foi um ano difícil. Merecemos um respiro e  descontrair de verdade. Então vamos aliviar, afrouxar a gravata, descer  do salto, ou subir  ( caso seja para se  divertir, está  liberado), colocar  um sorriso no rosto, iluminar  a alma  de  boas  vibrações e seguir em frente e  iniciar as  comemorações  de  final de  ano em Belo Horizonte, MG.

Abaixo a programação da semana de 19 a 23 de Dezembro:

Na  Segunda-feira, dia 19 de Dezembro teremos  a casa fechada  para  um evento particular. Mas, na Terça-feira,dia  20, a noite será da  nossa, Linda  Juventude, com essa turma que começou na faculdade de música da UFMG, o grupo formado por:  Susuno Lelis, Raul Almeida, Gustavo Fofão, Marcos Vinicius Nogueira, Bruno Rocha e Mirela Moreira,  se conheceram na matéria, "A música de Milton Nascimento" e  assim iniciaram os "ensaios da madrugada" no estúdio do Raul. O que era para  ser  uma  apresentação de  trabalho de grupo resultou em tão boa música, que naturalmente surgiu a banda: " Órfãos de  Nascimento".

 

Já  na  Quarta-feira , será  dia  de  conter  a  emoção. A  cantora Laura Catarina  filha  do grande, do saudoso Vander  Lee, nos  presenteia  com a  noite: Certas Canções! Laura se  apresentará no formato acústico da nossa  casa. Mesclará  canções do seu show, " Amor  de  Pai" e  o repertório do Clube da  Esquina. Mais  intenso emais musical que  todo esse  amor, não tem jeito.

 

Quinta-feira,  a  cantora  e  compositora Denise Reis, apresenta  seu show  com  Serginho Silva, " METADE LEE, METADE ME!".Passeará  com maestria  por  toda  obra de  Rita Lee: dançante, leve, 100% MPB e aquele toque  da roqueira delicioso. Denise  que até  então estava  com apresentações no Café  Vivaldi em Nova  York e outras  apresentações em Harvard e  Cambridge, está  semana  honrará toda  sua  raiz  mineira e   será, do Bar  do Museu Clube  da Esquina.

 

A sexta-feira é deles; Rodrigo e  Marilton Borges, continuam firmes  com o show: Em família! Seguem a  nos deliciar com os grandes sucessos  do nosso Clube da  Esquina  e  enchem  de carinho e  animação com um show  genuinamente, mineiro e  afetuoso para  encarar as  festas  em família  que  virão com o Natal.

 

Nas  noites  do dia  24  e  25  a casa  não abrirá  para  que  todos funcionários e  colaboradores possam aproveitar as festas com tranquilidade. Mas  no dia  26 voltamos  com força total e com todo pique para  aproveitar  a noite de  Réveillon!

 

Um grande abraço,um  feliz  Natal!

 

Assessoria  de  Imprensa

Bar do Museu Clube da  Esquina

 

 

Serviços:

Estilo musical: MPB, Samba, Rock Nacional, Blues, Jazz  e  muito Clube da  Esquina

 

*Segunda-feira: 19/12

  Evento fechado

 

*Terça- feira: 20/12

Noite: Linda Juventude

Órfãos de Nascimento

Horário de início do show: 20:30

Couvert  Artístico: R$10,00

(rodada dupla de drinks a noite toda)

 

*Quarta-feira: 21/12

 Noite: Certas Canções

Horário de  início do show: 20:30

Couvert Artístico: R$25,00

Laura Catarina

( para realizar a compra antecipada, acesse: www.ticketfacil.com.br )

 

*Quinta-feira: 22/12

Noite: Sonhos Não Envelhecem

Horário de  início do show: 21:00

Couvert Artístico: R$20,00

Denise Reis  & Serginho Silva em: METADE LEE, METADE ME!

( para realizar a compra antecipada, acesse: www.ticketfacil.com.br )

 

 

*Sexta- feira: 23/12

Noite: Em família Rodrigo e Marilton Borges.

Horário de  início do show: 21:30

Couvert Artístico: R$25,00

 

Sábado: dia 24 de dezembro fechado:  Natal

Domingo:  dia 25 de dezembro: Natal

 

 

PROMOÇÕES VIGENTES :

 

Happy Hour  com rodada dupla de drinks para aquisição até

às 20:00 horas.

Compre um ganhe dois. Essa  promoção só não está valendo para  os Domingos.

 

Aniversariante tem cortesia integral no couvert artístico e seus

convidados possuem  50% de desconto.

 

Música todos os dias de Domingo a Domingo. Aberto para almoço

a partir das 13:00horas aos Domingos

 

 

 

 

CONTATOS E ENDEREÇOS:

 

Endereço: Rua  Paraisópolis, 738. Santa Tereza

Telefones:  (31) 99688-0558 ou (31) 2512-5050

reservas@bardomuseuclubedaesquina.com

comercial@bardomuseuclubedaesquina.com

 








quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

CineSesc comemora os 100 anos de Samba com programação especial em 20 de dezembro


 

O samba, símbolo da tradição cultural brasileira, patrimônio imaterial, reconhecido pela Unesco em 2005 como Patrimônio da Humanidade, comemora seu centenário em 2016. E o CineSesc presta homenagem ao ritmo brasileiro com uma programação especial em 20 de dezembro.

 

A partir das 15h, serão exibidos três documentários musicais: "Chico – Artista Brasileiro", de Miguel Faria Jr., "Samba & Jazz", de Jefferson Mello e "82 Minutos", de Nelson Hoineff; além do último Cinema da Vela deste anocom Ricardo Calil, Kiko Dinucci, Geraldo Adriano e Thiago Mendonça, que tem, como tema Samba e Cinema – 100 Anos de Samba. Os ingressos para as sessões de cinema custam de R$ 3,50 a R$ 12 e o Cinema da Vela é grátis.

 

PROGRAMAÇÃO

Chico – Artista Brasileiro (Documentário, DCP, Dir.: Miguel Faria Jr., Brasil, 2015, 110 min., 10 anos)

Personagem fundamental da cultura brasileira nos últimos 50 anos, autor, dramaturgo e compositor de uma extraordinária coleção de canções que habitam o imaginário coletivo do país, Chico Buarque dialoga com a própria memória neste filme. O longa tem como um dos eixos a descoberta do irmão alemão de Chico. Guiado pela fala do próprio artista, o longa revisita a sua história do ponto de vista da maturidade.

Filme de abertura do Festival do Rio. Vencedor dos Prêmios de Melhor Documentário, Montagem de Documentário, Som e Trilha Sonora no Grande Prêmio Brasileiro de Cinema.

Terça-feira, 20/12, 15h.

 

Samba & Jazz (Documentário, DCP, Dir.: Jefferson Mello, Brasil, 2014, 86 min., livre)

A geografia os separa: um brasileiro, o outro americano. Os instrumentos musicais também são diferentes. Mas há algo mágico e rítmico que une o samba e o jazz. E para mostrar essa semelhança, o olhar de quem entende do assunto. Mas com um diferencial: o sambista estará em Nova Orleans e o jazzista no Rio de Janeiro. Não importa a distância, os dois tem em comum a paixão pela música e pelas manifestações populares que se desenvolvem nos mundos do samba e do jazz. O filme convida o espectador a viajar num cenário de belas paisagens e boa música, através de um século de história e costumes, expondo a similaridade dos aspectos musicais e comportamentais dos habitantes destas duas cidades.

Indicado na Première Brasil: Competição de Documentários –Longas.

Terça-feira, 20/12, 17h.

 

82 Minutos (Documentário, DCP, Dir.: Nelson Hoineff, Brasil, 2014,125 min., 10 anos)

O documentário acompanha o trabalho da escola de samba Portela, do Rio de Janeiro: não só os 82 minutos nos quais o grupo desfila no Carnaval, mas também a escolha do samba-enredo, os ensaios e a apuração dos votos.

Terça-feira, 20/12, 21h30.

 

Cinema da Vela

Samba e Cinema – 100 Anos de Samba

Cineastas, jornalistas e músicos retomam a presença do samba nos filmes e sua influência nos roteiros e personagens que fizeram parte da cinematografia nacional.

Com Ricardo Calil, Kiko Dinucci, Geraldo Adriano e Thiago Mendonça.

Terça-feira, 20/12, 19h30. Grátis. No Hall do CineSesc.