quarta-feira, 25 de março de 2015

REFORMA POLÍTICA DEMOCRÁTICA GANHA FORÇA COM MOBILIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL

Diversas atividades e atos estão ocorrendo pelo país com objetivo de fortalecer a coleta de assinaturas para o projeto de iniciativa popular da reforma política

Por Marcela Reis / Observatório da Sociedade Civil
Hoje, a partir das 17h, acontece vigília cívica em favor de uma reforma política democrática e pelo fim do financiamento de empresas em campanhas eleitorais. O ato em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF) foi organizado pelas entidades e movimentos que compõem a Coalizão pela Reforma Política Democrática.
O objetivo da ação é pressionar para que o ministro Gilmar Mendes, do STF, devolva para o plenário a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) movida pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) contra as doações de empresas para campanhas eleitorais. O julgamento já contabilizava seis votos a favor da proibição desse tipo de doação e apenas um contrário, quando Gilmar pediu vistas do processo, travando a decisão. O pedido acontece há quase um ano e o ministro ainda não devolveu o processo.
A vigília faz parte da Semana de Mobilização pela Reforma Política Democrática, iniciativa da Coalizão que está ocorrendo desde o dia 20 em todo país. O objetivo é intensificar a coleta de assinaturas pela tramitação do Projeto de Lei 6316/13, construído pela Coalizão e apresentado na Câmara pela deputada Luiza Erundina (PSB/SP), de reforma política democrática e eleições limpas.
Para Aldo Arantes, representante da OAB na Coalizão, é essencial que a sociedade civil se mobilize e pressione para que o ministro Gilmar Mendes tire o caso do financiamento privado de campanha da gaveta. “A questão do financiamento é o canal e o fator de distorção do sistema político brasileiro, visto que o poder econômico se transpõe ao poder político’’, completa.
“Nesse sentido, a PEC nº 344/13 e 352/13, que constitucionaliza o financiamento privado de campanha, é uma contrarreforma, pois vai à contramão da democracia e adota um sistema eleitoral mais elitista do que já é’’, aponta Arantes.
Para a Coalizão, é fundamental o combate da corrupção que se dá legalmente nas instâncias representativas, um exemplo disso são as campanhas financiadas. “A corrupção é estrutural, não é conjuntural. Tentar politizá-la é um mau caminho, não é problema de um governo em especial’’, argumenta Arantes.
Além da vigília, há diversas mobilizações importantes acontecendo: na terça-feira representações de sacos de dinheiro foram deixadas em frente ao Congresso Nacional e hoje a tarde, além da vigília, a Coalizão exigiu uma audiência com o Supremo Tribunal Federal. O calendário de mobilizações pode ser visto no próprio site da Coalizão: http://www.reformapoliticademocratica.org.br.
Arantes defende que apenas a mobilização não é suficiente: a participação direta da população é imprescindível e a sociedade civil deve propor soluções que aprofundem o debate da reforma política. Porque questões de suma importância, como a representação da mulher na política, são tratadas de maneira escassa ou nem são tratadas pelo governo, pela falta de representatividade popular.

sábado, 21 de março de 2015

Fonte de Mudanças: Metodista lança Movimento para engajar população na luta contra crise hídrica


·        Lançamento acontece nesta quinta-feira (26) com mesa-redonda reunindo João Caetano, Secretário de Gestão Ambiental de São Bernardo, Renato Tagnin, professor do SENAC e Cesar Pegoraro, da SOS Mata Atlântica

·        Universidade busca mudanças de atitude em relação ao meio ambiente por meio do conhecimento; site do Movimento Fonte de Mudanças oferece conteúdos informativos, aulas, entrevistas e vídeos
logofinalSão Bernardo do Campo, 20 de março de 2015 – A Universidade Metodista de São Paulo promove nesta quinta-feira, 26 de março, às 19h30, o lançamento do Movimento Fonte de Mudanças.
O evento contará com a mesa redonda mesa-redonda “A água e suas múltiplas perspectivas: Fonte de Mudanças”, com algumas das principais figuras que já trabalham nessa luta contra o desperdício de recursos naturais, em prol da sustentabilidade.
Farão parte da mesa-redonda João Caetano, Secretário de Gestão Ambiental da Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo; Renato Tagnin, professor do SENAC e pesquisador nas áreas de planejamento ambiental, educação ambiental e gestão de recursos hídricos; e Cesar Pegoraro, Educador Socioambiental, que atua no programa Rede das Águas, da Fundação SOS Mata Atlântica.
O público poderá fazer perguntas aos convidados, e o evento será transmitido aos campi Planalto e Vergueiro da Metodista e via web, no Portal da Metodista (www.metodista.br).
Confira o currículo dos integrantes da mesa-redonda:
Cesar Pegoraro - Fundação SOS Mata Atlântica
Formado em biologia, desenvolve projetos de educação ambiental e mobilização social há 18 anos, tendo atuado em várias ONGs de destaque, como SOS Mata Atlântica, Instituto Socioambiental, 5 Elementos, Vitae Civilis, entre outras. É um dos mentores do Movimento Cisterna Já e leciona Permacultura na Escola Grupo Oficina.
João Ricardo Guimarães Caetano
Engenheiro Agrônomo, mestre em planejamento ambiental. Secretário de Gestão Ambiental da Prefeitura de São Bernardo do Campo. Representante do Consórcio Intermunicipal Grande ABC no Comitê de Crise da Água do Estado de SP. Membro do Comitê de Bacias do Alto Tietê. Secretário geral da Associação Municipal de Município ANAMMA - Nacional e Professor de gestão ambiental de cursos de especialização.  
Renato A. Tagnin
Arquiteto e urbanista, especializado em Planejamento Urbano Metropolitano pela Universidade de Roma e mestre em Engenharia Civil e Urbana pela Escola Politécnica da USP. Atualmente é doutorando em Ciências pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP. Na Secretaria Estadual do Meio Ambiente de São Paulo, coordenou iniciativas de recuperação ambiental de mananciais da região metropolitana de São Paulo. Na Prefeitura do Município de São Paulo, coordenou o Grupo intersecretarial de Controle de Inundações e o Conselho Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável. Representou a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) junto ao Comitê de Bacia do Alto Tietê. Atualmente é professor e pesquisador nas áreas de planejamento ambiental, educação ambiental e gestão de recursos hídricos.
Saiba mais sobre o Movimento Fonte de Mudanças
Vivemos uma crise hídrica sem precedentes. O nível sistema Cantareira, de onde sai 67% da água que a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado empresa responsável pelo saneamento e distribuição da água em São Paulo) utiliza para abastecer um universo de 9 milhões de habitantes na região da Grande São Paulo vem atingindo baixas históricas. Em outubro de 2014, por exemplo, a capacidade era de 4,7%, a mais baixa já registrada pela Sabesp.
Com três campi em São Bernardo do Campo, na região do Grande ABC Paulista, onde também se encontra a Represa Billings, a Universidade Metodista de São Paulo acredita que é o momento não apenas para uma simples campanha de economia de água, mas para que as pessoas se mobilizem, tomem consciência e mudem suas atitudes para além do período de crise. Pensando nisso, foi criado o Movimento Fonte de Mudanças. 
A proposta do Movimento Fonte de Mudanças é esclarecer a população sobre os motivos da crise hídrica, como a água está distribuída no Estado de São Paulo, no Brasil e no planeta, como a população e o consumo crescem na medida inversa à quantidade distribuída e outras informações que possam esclarecer as pessoas sobre a necessidade e urgência dessa mudança de atitude.
No site do Movimento Fonte de Mudanças (www.metodista.br/fontedemudancas), será possível assistir diversos vídeos, com reportagens e aulas sobre o tema, ler notícias produzidas pela área de comunicação e também por alunos da Universidade, ver infográficos que dão mais detalhes sobre o Sistema Cantareira e a crise hídrica, entre outros conteúdos e informações.
Interação
Também será possível interagir por meio do site e das redes sociais da Metodista. Quem quiser se engajar e colaborar com o Movimento Fonte de Mudanças poderá enviar vídeos para o site ou redes sociais, dando dicas de economia, contando quais mudanças foram feitas em seu dia a dia e quaisquer outras informações que possam contribuir com o Movimento.
Lançamento do Movimento Fonte de Mudanças
Mesa-redonda - A água e suas múltiplas perspectivas: Fonte de Mudanças
Quando: quinta-feira, 26 de março de 2015, 19h30.
Onde: Universidade Metodista de São Paulo - Campus Rudge Ramos - Anfiteatro Sigma - Rua Alfeu Tavares, 149 - Rudge Ramos - São Bernardo do Campo – SP.
Transmissão: ao vivo pelo Portal da Metodista (www.metodista.br) e nos campi Planalto (Rua Dom Jaime de Barros Câmara, 1000, Planalto) e Vergueiro (Av. Senador Vergueiro, 1301 - Jardim do Mar), ambos e São Bernardo do Campo – SP.

sexta-feira, 20 de março de 2015

"Água - A Exposição" chega ao Metrô de São Paulo

Apresentação, com 30 imagens ampliadas alerta para a conscientização do meio ambiente, estará na estação República

Para comemorar o Dia Mundial da Água, que é em 22 de março, a Veolia Water Technologies Brasil apresenta, com a iniciativa da Cultura Sustentável e patrocínio da Manaus Ambiental e Taesa, "Água - A Exposição", a partir do dia 21 de março, na estação República do Metrô de São Paulo. A exposição, idealizada via Lei Rouanet, com apoio do Ministério da Cultura, conta com uma série de fotos, ricas em informações sobre a água do nosso planeta Terra. Todas as obras são assinadas pelo cinegrafista, fotógrafo, biólogo e apresentador, Cristian Dimitrius.
Cristian foi um dos premiados com o EMMY AWARD, em 2013, pela melhor direção de fotografia pelo trabalho feito na Serie Untamed Americas, da National Geographic. Reuniu, em muitos anos de trabalho como documentarista, um surpreendente acervo de fotografias e vídeos.
Segundo Dimitrius, que também é um dos apresentadores do quadro Domingão Aventura - no Domingão do Faustão, Rede Globo -  os visitantes poderão conferir de perto fotografias inspiradoras que os transportarão para o fascinante e importante ciclo da água.
Dentre os lugares visitados pelo fotógrafo estão o Japão, Panamá, Estados Unidos, Costa Rica, África, Argentina, Mongólia, as Ilhas Galápagos, Bahamas, além de regiões brasileiras.
"A arte é um dos meios mais efetivos para despertar o interesse da comunidade para a importância da preservação do meio ambiente. A Veolia sempre investe em ações culturais para multiplicar a conscientização da sociedade sobre o atual cenário do nosso planeta", destaca Béatrice de Toledo Dupuy, Gerente de Marketing & Comunicação América Latina da Veolia.
Para a diretora da Cultura Sustentável, Ana Carolina Xavier, o objetivo da exposição é mostrar para o público as grandes belezas naturais e chamar atenção para a responsabilidade de conservação da água para a preservação dos recursos naturais.
A exposição ficará disponível até o dia 19 de abril de 2015. Além do Metrô República, seguirá ainda para outras cidades.

Seminário Internacional debaterá crise hídrica e energética no Brasil


 

Evento apresentará as consequências da estiagem prolongada sobre o território do Brasil como sendo um novo desafio para a sociedade

 

Acontecerá nos dias 23 e 24 de abril, o VII SISG (Seminário Internacional de Smart Grid), no Auditório Escola Americana, no campus Higienópolis da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), São Paulo. O evento promovido pela Escola de Engenharia da UPM, tem como objetivo reunir os melhores especialistas e estudiosos para discutir as aplicações de rede de inteligência para as crises hídricas e energéticas.

 

Uma série de informações atualizadas garante que mesmo com as chuvas recentemente havidas no Sudeste, os níveis dos reservatórios tanto para fornecimento de água quanto para geração de energia ainda estão baixos. Este fato tem despertado diversas análises, estudos e debates que precisam continuar mantendo a preocupação e permitindo conciliar a matriz energética sustentável e ambientalmente correta, com o fornecimento de água adequando para a população brasileira.

 

Neste ambiente, encontrar uma linha de frente, que permita revelar-se à sociedade como um caminho viável, plausível e consistente, é um dos papéis fundamentais das universidades brasileiras, do governo, de suas associações e das empresas diretamente ligadas a este assunto.

 

O desafio é o de encontrar uma ou mais soluções técnicas que tragam o procedimento e o método necessário para superar esta dificuldade. São situações de necessidade como estas que os novos conhecimentos e tecnologias se somam.

 

A percepção dos organizadores deste seminário é de que os conceitos práticos de cidade inteligente ou "Smart city" e o de "Smart grid", têm muito a oferecer nesta recente fronteira de desafios da sociedade brasileira.

 

Agenda

Tema: Aplicações de Rede Inteligente para as Crises Hídricas e Energéticas

Dia: 23 de abril

9h30 - Smart City e a Crise Hídrica e Energética

14h - A Crise Hídrica

 

Dia: 24 de abril

8h30 – A Crise Energética

12h30 – Encerramento

 

Serviços

Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM)

Local: Auditório Escola Americana

Acesso pela Rua Itambé, 143 ou Rua Piauí, 130 – Higienópolis


terça-feira, 10 de março de 2015

Seminário Internacional Ruralidades, Trabalho e Meio Ambiente da UFSCar recebe resumos para apresentação

 

Envio pode ser realizado até o dia 27 de março

De 9 a 11 de junho acontece na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) o III Seminário Internacional Ruralidades, Trabalho e Meio Ambiente. O evento tem o objetivo de promover a discussão sobre as dinâmicas e transformações das ruralidades contemporâneas, como a questão agrária, a posse da terra, as transformações na forma de emprego e de geração de renda no campo, as novas modalidades de regulação ambiental destes territórios e os conflitos pelo uso e acesso aos ecossistemas rurais e suas consequências para a saúde da população.
Para debater todos esses assuntos professores e pesquisadores do Brasil e do exterior participam de mesas redondas, nas quais também serão abordados os desequilíbrios de poder, as disputas em torno dos diferentes projetos de desenvolvimento para o campo, as novas subjetividades rurais, a problemática da produção de alimentos e mudanças demográficas. A programação inclui ainda uma conferência a cargo do professor Enrique Leff, da Universidade Nacional Autônoma do México, sobre "Novas Ruralidades, novas territorialidades: A Ecologia Política da Sustentabilidade". 
Haverá também espaço para a apresentação de pesquisas científicas nos quatro Grupos de Trabalho (GT) que compõem a programação do Seminário, intitulados Ruralidades e Meio Ambiente; Trabalho Rural; Instituições, Governança Territorial e Movimentos Sociais no Campo; e Camponeses e Agronegócios: Estratégias de Reprodução e Conflito. A chamada para envio de resumos está aberta e o prazo se encerra no dia 27 de março. As propostas de apresentação devem ser postadas no site do evento, em www.seminarioruralidades.ufscar.br, por meio do link Envio de Resumos. Serão aceitas propostas de artigos de pesquisadores, estudantes de pós-graduação, professores e demais profissionais, que investiguem temas vinculados à Sociologia Rural e áreas afins. 
Cada autor pode inscrever apenas um resumo, com direito a se inscrever como coautor em outro resumo. A aceitação dos trabalhos está condicionada à avaliação da comissão científica do evento, que selecionará os trabalhos a serem apresentados em função de sua adequação, num primeiro momento, em relação ao tema geral do evento, e, em seguida, à sua pertinência com o tema do GT no qual foi inscrito. Após o evento, os resumos e os textos completos serão publicados em anais eletrônicos, em CD-ROM, com inscrição ISSN, e também em Caderno de Resumos impresso. 
Os interessados em participar como ouvintes podem se inscrever pela internet até o dia 1º de junho ou presencialmente durante o evento. A programação completa do evento, o formulário para inscrição, os valores, a formatação para o envio de resumos e demais prazos, dentre outras informações, estão disponíveis no site www.seminarioruralidades.ufscar.br
O III Seminário Ruralidades, Trabalho e Meio Ambiente é uma realização do Grupo de Estudos e Ruralidades, Ambiente e Sociedade (Ruras), do Grupo de Pesquisa Terra, Trabalho, Memória e Migração (Trama), do Programa de Pós-Graduação em Sociologia (PPGS) e do Departamento de Sociologia (DS) da UFSCar. Dúvidas podem ser esclarecidas pelo email seminarioruralidades2015@gmail.com.

Museu do Futebol comemora durante o mês de março o Dia da Mulher e dá o ponta pé inicial ao projeto


Data será celebrada com gratuidade às mulheres em todos os domingos de março 


O Museu do Futebol - instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, localizado no estádio do Pacaembu - convida a todos para visitar seu acervo no mês de março, em especial as mulheres, que terão entrada gratuita nos dias 15, 22 e 29.
A partir deste mês, o Museu do Futebol também dará início a mais um projeto inédito, o qual tem por objetivo divulgar a história da participação feminina no futebol, esporte que também é popular entre as mulheres, apesar de quase não haver notícias sobre. #Visibilidade para o Futebol Feminino será uma ação integrada para unir pesquisa, exposição, programação cultural, e ações educativas.

No dia 14 de março, ocorrerá, no auditório do Museu, o primeiro de uma série de debates mensais programados até dezembro. O primeiro tema será o calendário dos jogos da Copa do Mundo de Futebol Feminino e as fórmulas de disputa. Participarão Arthur Elias (técnico do Centro Olímpico) Mayara Bordin (volante do Centro Olímpico), Thaís Picarte (Goleira do São José) e Emily Lima (a primeira mulher a comandar uma seleção).

O ciclo de debates é organizado pela jornalista Luciane Castro, pela ex-jogadora e atual comentarista esportiva Juliana Cabral e pelo técnico René Simões. O objetivo é criar um espaço permanente no Museu para divulgar e debater a história do futebol feminino. A rádio Central 3 irá registrar os eventos e colocar à disposição para consulta na internet.

Durante os finais de semana do mês de março, os educadores do Museu oferecem jogos e atividades educativas aos visitantes, como o "Mulheres de expressão", no qual o público toma contato com fotografias de mulheres que marcaram o século XIX e XX e o "Futebol é coisa de quem?" que aborda a história do futebol do ponto de vista feminino. De modo lúdico, o visitante é convidado a pensar como seria a história do futebol no Brasil se esse fosse considerado, desde sua origem, como "coisa de mulher".

Além dessas mudanças, em junho serão exibidos os jogos da seleção brasileira na Copa do Mundo Feminina FIFA no Canadá, com distribuição de ingressos gratuitos para quem vier assistir aos jogos no Auditório do Museu.

Para esse projeto, a equipe do Museu do Futebol também conta com a curadoria e pesquisa da especialista Silvana Vilodre Goellner (coordenadora do Centro de Memória do Esporte da ESEF/UFRG) e da parceria do Centro de Memória do Esporte da Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (CEME/UFRGS) e do Coletivo Guerreiras Project também são parceiros neste projeto inédito.

O Centro de Referência do Futebol Brasileiro - CRFB realizará, ao longo de todo o ano, a coleta de documentos e fotografias para digitalização, bem como a gravação de entrevistas de História Oral com mulheres.
A exposição, que terá início no mês de maio, apresentará diversas intervenções no acervo permanente. Nove, das quinze salas do Museu receberão fotos, curiosidades e vídeos. Em uma das salas, por exemplo, estarão expostos itens raros sobre o tema, como fotos de Leonor Silva (rainha da torcida brasileira no Mundial de 1938, na França) e de Léa Campos (primeira árbitra a apitar um jogo internacional, nos anos 1970, quando ainda era proibido às mulheres participarem de campeonatos oficiais).


SERVIÇO
"Mês da Mulher" e projeto "#Visibilidade para o futebol feminino"
Onde: Museu do Futebol
Endereço: Praça Charles Miller, s/n - Estádio do Pacaembu
Gratuidade para as mulheres nos dias 15, 22 e 29 de março
Preço dos ingressos: R$ 6 (inteira) /R$ 3 (meia-entrada para estudantes, idosos e professores).
Horário de funcionamento do Museu: 9h às 17h (permanência até as 18h)
*Pessoas com deficiência não pagam
*Crianças até sete anos não pagam
*Estacionamento no local com Zona Azul - R$ 5,00 válido por três horas. A venda na bilheteria do Museu
Tel.: (11) 3664-3848
Informações: www.museudofutebol.org.br
Twitter: @_museudofutebol
Facebook: www.facebook.com/museudofutebol
Instagram: http://instagram.com/museudofutebol

sábado, 7 de março de 2015

Exposição fotográfica na UFSCar retrata cultura caipira de Sorocaba e municípios da região


Projeto captou imagens do cotidiano de pessoas do campo em suas questões típicas do trabalho, da religiosidade, da culinária e do folclore



A Biblioteca do Campus Sorocaba da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) sedia até o dia 13 de março a exposição fotográfica "O Universo Caipira". A mostra é resultado de um semestre de estudos coordenados pela professora Neusa de Fátima Mariano, do Departamento de Geografia, Turismo e Humanidades (DGTH - So). O objetivo da atividade foi buscar o contato e a compreensão da cultura caipira, "cujas especificidades encontram-se imersas no cotidiano de contradições que envolvem o tradicional e o moderno", segundo a coordenadora.

São cerca de 40 fotografias compondo a exposição, registradas em Sorocaba e em municípios da região, principalmente em Araçoiaba da Serra, com apoio da prefeitura local. "Trabalhamos o conceito de cultura caipira, seus estereótipos e seu universo de trabalho, de lazer, religiosidade, musicalidade, culinária, crenças, rusticidade, lendas e folclore", diz Neusa. Além das fotos, há bandeirinhas coloridas (como as presentes em Festas Juninas) com o registro escrito de falas das pessoas que foram entrevistadas e fotografadas durante o projeto, como a Dona Odette e o Seu Nataro. Os visitantes também podem ouvir, em fones de ouvido, músicas caipiras populares.

Além de estudantes do curso de Geografia, participaram do estudo - em sua pesquisa, captação de imagens e entrevistas - alunos dos cursos de Física, Biologia e Pedagogia do Campus Sorocaba. O projeto foi desenvolvido por meio de uma Atividade Curricular de Integração Ensino, Pesquisa e Extensão (Aciepe).

A exposição fotográfica "O Universo Caipira" pode ser conferida de segunda a sexta-feira, das 8 às 22 horas. O Campus Sorocaba fica no km 110 da rodovia João Leme dos Santos (SP-264), estrada que liga que Sorocaba à Salto de Pirapora.

sexta-feira, 6 de março de 2015

São Paulo para todas as mulheres!


Imagem
Parque do Ibirapuera. Foto: José Cordeiro/ SPTuris.
São Paulo, 6 de março de 2015 - No próximo domingo, dia 8 de março, comemora-se o Dia Internacional da Mulher. Para que este dia seja celebrado de forma especial, não é preciso viajar quilômetros de distância ou planejar um roteiro com dias de antecedência. São Paulo oferece uma pluralidade de opções e que agrada aos diferentes estilos.
1.     Consumista:
Existem mais de 50 opções de shoppings centers espalhados pela capital, além das galerias e das feirinhas de arte e artesanato, como as da Praça da República, Praça da Liberdade, em frente ao Parque Trianon e no vão livre do Masp.
Ruas de comércio popular, como a 25 de Março, Santa Ifigênia e José Paulino, e bairros inteiros, como Brás e Bom Retiro, estão à disposição para as mulheres escolherem muitos presentes e pagarem pouco.  
2.     Gastronômica:
O Dia da Mulher pode ser comemorado com muito sabor e diversão no Mercado Municipal de São Paulo, o conhecido Mercadão, onde está o tradicional e famoso sanduíche de mortadela.
São Paulo também oferece hamburguerias tops: Seu Oswaldo, no bairro do Ipiranga, Hambúrguer do Sujinho, na Rua Consolação, e o Zé do Hambúrguer, em Perdizes são algumas opções. Além disso, as feirinhas gastronômicas e os food trucks oferecem comida diversa e a preços mais enxutos. 
O domingo ainda pode ser comemorado com um almoço ou jantar no tradicional Terraço Itália. Além de saborear as delícias de um dos restaurantes mais famosos da cidade, o ambiente é elegante e a vista panorâmica da cidade é deslumbrante.
3.     Vegetariana:
E se a estrela do dia for vegetariana? Isso não é problema na cidade que oferece dezenas de opções de restaurantes vegetarianos espalhados pelos quatro cantos. Entre algumas opções do centro da capital, tem o Apfel, em Pinheiros, o Goshala, no Jardim Paulista, o Orange e na Consolação, o Gopala Madhava.
4.     Cultural:
São cerca de 40 centros culturais, 110 museus, 180 teatros e 280 salas de cinema espalhados pela cidade de São Paulo. O dia pode começar na Luz, com visita à Pinacoteca e ao Museu da Língua Portuguesa. Depois, pode seguir para a Avenida Paulista e visitar o Masp, passar pela Fiesp, assistir a um filme no Reserva Cultural ou Itaú Cultural e terminar o passeio no Conjunto Nacional. Nele, a noite pode terminar em grande estilo, com um espetáculo no Teatro Eva Herz, localizado dentro da Livraria Cultura, ou em um dos teatros da Rua Augusta.
5.     Internacional:
O domingo pode ser divertido, explorando cantos da São Paulo que mostram o quanto ela é um misto de nacionalidades. Visitar bairros como a Liberdade, caracterizada pela forte presença da comunidade oriental, Mooca ou Bixiga, bairros típicos italianos, Brooklin, com muitos alemães, ou Higienópolis e Bom Retiro, para conversar com israelenses e judeus, entre dezenas de outras colônias presentes na cidade.
Além disso, há diversos lugares na cidade que trazem elementos culturais de outros países, como a casa de chá egípcia Khan El Khalili, na Vila Mariana, que é um tradicional ponto turístico de cultura árabe, onde há música, dança e culinária típicas.  
6.     Zen:
Na cidade que pouco dorme, o Dia Internacional da Mulher também pode ser relaxante. São Paulo possui muitas ilhas de tranquilidade, entre elas o Templo Busshinji, no bairro da liberdade, e o Solo Sagrado de Guarapiranga, um dos maiores espaços para contemplação da natureza e meditação existentes no Brasil.
Além disso, são mais de cem parques e áreas verdes existentes na cidade, do famoso Ibirapuera, ao mais reservado Horto Florestal.
Para a mulher que busca um dia relaxante e dedicado ao cuidado pessoal, diversos salões de beleza oferecem preços especiais para massagens, cuidados com cabelos, mãos e pés.
7.      Divertida:
O domingo pode ser de muitas risadas no Comedians Club, espaço aconchegante onde acontece show de stand-up. O estabelecimento oferece reserva previa pela internet.  Além disso, alguns teatros também tem comédias em sua programação. A Augusta e a Vila Madalena garantem agito na noite paulistana. 
8.     Esportista
São mais de 300 centros de esporte e de lazer na capital. O domingo pode ser muito esportivo e sem custo! Parque do Ibirapuera, Parque do Carmo, Parque Villa Lobos e Horto Florestal estão entre as opções. Se preferir um passeio esportivo e cultural, não tenha dúvida: Museu do Futebol. 

Projeto Diálogos Filosóficos discute Brasil contemporâneo


No MuBE, encontro reúne palestrantes para debate sobre economia, ética e política, em busca de um país mais consciente e responsável

 


Buscando uma reflexão mais ampla e livre a respeito da condição humana, da ética e da educação no mundo contemporâneo, o projeto Diálogos Filosóficos foi desenvolvido com o objetivo de promover encontros mensais abertos para debater, com um público variado e curioso, questões importantes para o Brasil atual.

Para isso, promove encontros mensais com a participação de palestrantes convidados e a mediação da filósofa e escritora Marcia Tiburi, que idealizou Diálogos Filosóficos em parceria com a advogada Andréa Bértoli e a empresária e consultora de empresas Mariana Tasca.  Segundo as idealizadoras do projeto, os palestrantes convidados de cada edição são intelectuais que compartilham o anseio por um Brasil mais consciente e responsável, e que se propõem a colaborar com questionamentos, mais do que com respostas prontas.

A primeira edição será realizada no dia 14 de março, no Teatro MuBE Nova Cultural, com a participação dos convidados Vladimir Pinheiro Safatle, filósofo e professor livre-docente do Departamento de Filosofia da USP, e Marcio Pochmann, economista e professor titular do Instituto de Economia da Unicamp. Neste primeiro encontro, que terá como tema "O Brasil Contemporâneo: Economia, Ética e Política", os participantes abordarão questões como: O que foi o Brasil? O que é o Brasil? O que o Brasil poderá se tornar?

Marcia Tiburi destaca que somente o diálogo pode gerar uma ética e uma política verdadeiramente democráticas. "O diálogo sobre o Brasil é essencial para todos os brasileiros. O Brasil não é uma resposta nem apenas uma pergunta, mas um conjunto de questões que nos dizem respeito. Pensar o Brasil contemporâneo é uma tarefa ética e política urgente. É o desafio inicial do Diálogos Filosóficos", afirma, acrescentando que as questões, quando bem colocadas, podem nos orientar a novas ações e a transformações sociais essenciais.

"Sabemos que os grupos de estudo ou aulas de filosofia tem se difundido imensamente, mas o que nos chama a atenção é o caráter comercial do que temos visto. Não é o que procuramos com este projeto. Procuramos um espaço, não apenas físico, que provoque e desperte uma sensibilização e consequente mobilização nas pessoas", ressalta Marcia Tiburi.

SERVIÇO:
DIÁLOGOS FILOSÓFICOS
DATA: 14 de março
HORÁRIO: 10h
LOCAL: Teatro MuBE Nova Cultural  - Avenida Europa, 218 (entrada pela Rua Alemanha, 221) Jardim Europa, São Paulo 
INGRESSOS: na bilheteria do teatro,pelo telefone 4003.1212 ou pelo site
www.ingressorapido.com.br
INFORMAÇÕES:4301.7521








quinta-feira, 5 de março de 2015

Museu Catavento completa 6 anos



Para comemorar em grande estilo, apresenta a ópera infantil “Operilda na Orquestra Amazônica”

Catavento Cultural e Educacional, espaço de Ciência e Tecnologia da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, chega aos 6 anos com muito a comemorar. Nesse período, recebeu 2,5 milhões de visitantes. Dentre eles, 890 mil estudantes de cinco mil instituições de ensino do Estado de São Paulo e de outros estados, interessados em complementar seus conhecimentos e, ao mesmo tempo, divertir-se muito nas suas mais de 250 instalações.

A comemoração do aniversário do Museu Catavento será no dia 28 de março, sábado, com a apresentação do espetáculo infantil sobre a música erudita brasileiraOperilda na Orquestra Amazônica.

A feiticeira do bem Operilda sonha em ter uma orquestra e recebe uma missão de sua tia Opereta: contar para as crianças a história da música erudita do Brasil em uma hora. Ela corre contra o tempo para, com a ajuda de seis músicos e um livro mágico, passear pelos diversos estilos e ritmos que formam a história da música do país. 

Operilda e seus músicos passam por vários momentos da história para mostrar a influência de europeus, negros escravos, índios e da natureza na formação da nossa música. O repertório escolhido por eles é composto por valsas, modinhas e choros de Ernesto Nazaré e Chiquinha Gonzaga, e pela música erudita de Alberto Nepomuceno, Guerra Peixe, Villa-Lobos, Carlos Gomes e Tom Jobim, mostrando de maneira clara a influência popular e folclórica na formação da chamada música erudita brasileira.

Segundo a autora Andréa Bassitt, “Operilda na Orquestra Amazônica tem como objetivo estimular a formação de público infantil e público em geral e desmistificar a imagem da música erudita como um tipo de arte de difícil acesso, oferecendo a plateias de diferentes origens sociais e culturais um espetáculo direto, bem-humorado, instrutivo e de qualidade, permeado pela linguagem universal da música”.

Operilda na Orquestra Amazônica recebeu os prêmios APCA Melhor Musical Infantil 2013 e FEMSA, na Categoria Especial pela Divulgação da Música Erudita e Folclórica. O espetáculo foi protagonista da série de concertos didáticos “Aprendiz de Maestro” - evento mensal apresentado pela Associação TUCCA, na Sala São Paulo.

Anote!
Operilda na Orquestra Amazônica
Local: Auditório
Datas: 28 de março de 2015 (sábado)
Horário: 15h30
Duração: 60 minutos
Entrada gratuita
Vagas limitadas


Sobre o Catavento
Fruto de parceria entre as Secretarias Estaduais da Cultura e da Educação, o espaço foi inaugurado em 26 de março de 2009. São mais de 250 instalações, em nove mil metros quadrados, divididas em quatro seções (Universo, Vida, Engenho e Sociedade), cada uma delas elaborada com iluminação e sons diferentes, que contribuem para criar atmosferas únicas e envolventes. Atrações como aquários de água salgada, anêmonas e peixes carnívoros e venenosos, uma maquete do sol e uma parede de escalada onde é possível ouvir histórias de personalidades como Gengis Khan, Júlio César e Gandhi, são apenas alguns exemplos de como o visitante pode aprender e se divertir ao mesmo tempo.
No local também é possível conferir as atrações da Fundação Museu da Tecnologia de São Paulo, que teve seu acervo transferido para o Catavento no início de 2011. Entre os principais equipamentos estão a locomotiva Dübs (fabricada em 1888 na Inglaterra que pertenceu à Cia. Paulista de Estradas de Ferro e foi usada brevemente para o transporte de carga) e o avião DC-3 (1936), que foi utilizado como cargueiro militar na Segunda Guerra Mundial.

Serviço
Catavento Cultural e Educacional
Onde: Palácio das Indústrias - Praça Cívica Ulisses Guimarães, s/no (Av. Mercúrio), Parque Dom Pedro II, Centro – São Paulo/SP
Telefone: 11 3315-0051 – atendimento das 11h às 17h
Quando: terça a domingo, das 9h às 17h (bilheteria fecha às 16h)
Quanto: R$ 6 e meia-entrada para estudantes, idosos e portadores de deficiência. Entrada gratuita aos sábados.
Idade mínima para visitação: recomendado para crianças a partir de seis anos
Acesso por transporte público: estação de metrô Pedro II e terminal de ônibus do Parque Dom Pedro II
Estacionamento: R$ 10 até 4 horas (para visitantes do museu). Adicional por hora: R$ 2,00 (capacidade para 200 carros). Ônibus e vans: R$20,00.
Infraestrutura: acesso para pessoas com deficiência locomotora.

terça-feira, 3 de março de 2015

Ipiranga receberá Audiência Pública para a Elaboração do Plano Municipal de Mobilidade


Encontro será na dia 06 de março, sexta-feira, às 19h

No dia 06 de março, sexta-feira, a subprefeitura Ipiranga receberá uma Audiência Pública para a Elaboração do Plano Municipal de Mobilidade. O objetivo do encontro é que a população contribua na elaboração do texto final do plano.

O PlanMob deve definir um cenário de investimentos para mobilidade urbana na Capital nos próximos 15 anos.

Além de abrir a discussão com os conselheiros participativos das cinco regiões da capital e da plataforma online, irão ser realizadas reuniões nas 32 subprefeituras da cidade para consultas pública.

O Plano deve ser finalizado até maio deste ano e deve ser implementado por decreto do Executivo para regulamentar as diretrizes impostas pelo PDE (Plano Diretor Estratégico).

Serviço:
Auditório da Subprefeitura Ipiranga
Endereço: Rua Lino Coutinho, 444
Data: 06/03/2015
Horário: 19h