quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Autores de Cidades rebeldes debatem as Jornadas de Junho


Raquel Rolnik, Ruy Braga, integrante do MPL-São Paulo e Guilherme Wisnik se reúnem no dia 31 de outubro, no auditório do MASP, às 19h, para um debate de lançamento do livro Cidades rebeldes: Passe Livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil.
Com textos de Slavoj Žižek, David Harvey, Mike Davis, Ermínia Maricato, Leonardo Sakamoto, Carlos Vainer, entre outros, Cidades rebeldes é o primeiro livro impresso inspirado nos megaprotestos que ficaram conhecidos como as "Jornadas de Junho". Os debatedores são autores do livro e a mediação é do crítico, arquiteto e urbanista Guilherme Wisnik, curador da 10ª Bienal de Arquitetura de São Paulo "Cidade: Modos de fazer, modos de usar".
O evento integra a programação da 10ª Bienal e é gratuito, aberto ao público em geral. Sujeito à lotação. Senhas serão distribuídas a partir das 18h.
Debates de lançamento de Cidades rebeldes
Cidades rebeldes: As jornadas de junho e o direito à cidade
com Raquel Rolnik, Ruy Braga, MPL-SP e Guilherme Wisnik (mediação)

Lançamento de Cidades rebeldes na 10ª Bienal de Arquitetura de São Paulo
31 de outubro | quinta-feira | 19h
Av. Paulista | 1578 | Bela Vista | Auditório do MASP
Gratuito e aberto ao público em geral. Sujeito a lotação: senhas a partir das 18h.

Realização: Boitempo Editorial, 10ª Bienal de Arquitetura de São Paulo, Instituto de Arquitetos do Brasil e Museu de Arte de São Paulo.



Leia resenha de Gilberto da Silva em:
http://www.partes.com.br/2013/09/26/cidades-rebeldes-manifestacoes-contemporaneas/

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Impacto e Tendências da Internacionalização da Educação Superior

Seminário ocorre em São Paulo, SP, dia 29 de outubro

 

O seminário Impacto e Tendências da Internacionalização da Educação Superior ocorre dia 29 de outubro, na Unesp, em São Paulo, SP.

Oganizado pelo British Council, o evento busca promover o diálogo sobre as tendências globais da educação superior.

Especialistas brasileiros e britânicos discutirão experiências institucionais brasileiras em educação internacional, modelos de inovação e pesquisa do Brasil e do Reino Unido, entre outros temas.

O evento será realizado no auditório do Instituto de Artes do Câmpus da Unesp Barra Funda, que fica na Rua Dr. Bento Teobaldo Ferraz, 271, em São Paulo.

Programação completa e inscrições: http://www.britishcouncil.org/brasil-seminarios-de-educacao.htm

Unesp/Marília seleciona docente

Oportunidade é no Departamento de Educação Especial

Estão abertas, até 21 de novembro, as inscrições ao concurso público de Provas e Títulos para preenchimento de um emprego público de Professor Assistente Doutor, registrado sob o nº 140 - Regime de Dedicação Integral à Docência e
à Pesquisa - RDIDP, sob o regime jurídico da CLT e legislação complementar, nas disciplinas Psicomotricidade e Desenvolvimento e Aprendizagem: Especificidades das Pessoas com Deficiência, junto ao Departamento de Educação Especial da Faculdade de Filosofia e Ciências da Unesp do Câmpus de Marília.

REMUNERAÇÃO
O salário correspondente ao emprego público de Professor Assistente Doutor, referência MS-3.1 é de R$ 9.184,94 (nove mil, cento e oitenta e quatro reais e noventa e quatro centavos). Caso o candidato tenha título de Livre-Docente, o salário será correspondente à ref. MS-5.1 = R$ 10.950,28 (dez mil, novecentos e cinquenta reais e vinte e oito
centavos).

INSCRIÇÕES
As inscrições serão recebidas, em dias úteis, no período de 23/10 a 21/11/2013, no horário das 9 às 11h30 e das 14 às 16h30, na Seção Técnica de Comunicações, sito à Av. Hygino Muzzi Filho, nº 737, Campus Universitário, em Marília-SP.

EDITAL
http://www.marilia.unesp.br/Modulos/Editais/pdfs/Edital-236-2013.pdf

sábado, 26 de outubro de 2013

Roda Viva entrevista Paulo Cesar de Araujo

 
Roda Viva discute biografias não autorizadas com Paulo Cesar de Araújo
Jornalista estará no programa nesta segunda-feira (28/10), ao vivo, a partir das 22h

 

São Paulo, 25 de outubro de 2013 – O Roda Viva recebe nesta segunda-feira (28/10) o jornalista e escritor Paulo Cesar de Araújo, para falar a respeito da polêmica envolvendo a publicação de biografias não autorizadas, que colocou em lados opostos artistas como Caetano Veloso e Gilberto Gil, e editoras. Ele também comenta o livro Roberto Carlos em Detalhes, além de outras questões ligadas a música e cultura. O programa, apresentado por Augusto Nunes, vai ao ar a partir das 22h, ao vivo, na TV Cultura.

Paulo Cesar de Araújo, que nasceu em Vitória da Conquista (BA), em 14 de março de 1962, é jornalista formado pela PUC-RJ, historiador formado pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e mestre em Memória Social pela Uni-Rio.

Araújo ficou nacionalmente conhecido ao escrever Roberto Carlos em Detalhes, uma biografia não autorizada do cantor. Lançado em 2006, o livro foi resultado de uma pesquisa ao longo de mais de 15 anos, que reuniu depoimentos de cerca de 200 pessoas que participaram da trajetória de Roberto Carlos. A obra foi vetada pelo cantor capixaba em 2007, por meio de ações na Justiça. 

Outra obra literária de Paulo Cesar que se tornou referência na historiografia ligada à música popular brasileira é o livro Eu Não Sou Cachorro, Não, que traça um paralelo entre a ditadura militar no Brasil e os cantores considerados "bregas" da época.

Recentemente,
para contestar o cantor Chico Buarque, que declarou jamais ter sido entrevistado pelo jornalista para a biografia de Roberto Carlos, Paulo Cesar apresentou vídeo e foto do encontro.

 

O Roda Viva conta com uma bancada de entrevistadores formada por Alberto Dines (editor do site e do programa de TV Observatório da Imprensa), Jerônimo Teixeira (editor de cultura da revista Veja), Júlio Maria (repórter de música do jornal O Estado de São Paulo), Anna Virginia Balloussier (editora-assistente da revista São Paulo, do jornal Folha de São Paulo) e Luís Antônio Giron (editor de cultura da revista Época). O programa tem ainda a participação do cartunista Paulo Caruso.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Laboratório de Experimentação Cênica


 

Laboratório de Experimentação Cênica

com Antonio Duran e Eliana Monteiro

Criação cênica e exploração do espaço urbano na perspectiva dos integrantes do Teatro da Vertigem.
De 28 de outubro a 25 de novembro
Horários: 
Segundas e sextas, das 14h às 18h
Inscrições: até 24 de outubro
Foto: Letícia Moreira – Folhapress

 

Conteúdo

Por meio de alguns princípios do processo colaborativo de criação, e das práticas de pesquisa executadas pela equipe de criação do Teatro da Vertigem, em seu último espetáculo "Bom Retiro 958 metros", especialmente a "deriva"[1], esta Oficina visa que os participantes exercitem a criação cênica na perspectiva de uma síntese do olhar coletivo, tendo em vista a exploração do espaço urbano como indutor de temas e procedimentos cênicos.
[1]Prática executada pela Internacional Situacionista (IS), movimento surgido em 1957 na França, como um modo de comportamento experimental ligado às condições da sociedade urbana: técnica da passagem rápida por ambiências variadas.
 

Eixos centrais do curso

processo de pesquisa; entrecruzamento de  linguagens; criação compartilhada (Processo Colaborativo); espaço urbano, como fator indutor.
 
Cronograma das aulas
Encontro 1: apresentação, exercícios de aproximação; conceitos básicos sobre as práticas situacionistas e processos de pesquisa;
Encontro 2: criação de dispositivos e deriva; discussão e divisão dos grupos de trabalho;
Encontro 3: workshops de criação com apresentação de material cênico;
Encontro 4: exercícios de criação privilegiando o ponto de vista por meio de processos colaborativos de criação;
Encontro 5: workshops de criação com apresentação de material cênico;
Encontro 6: workshops de criação com apresentação de material cênico e encaminhamentos para as áreas de criação;
Encontro 7: workshops de criação com apresentação de material cênico e encaminhamentos para as áreas de criação;
Encontro 8: abertura dos processos de pesquisa iniciados.
 

Sobre os professores

Encenadora e orientadora artístico-pedagógica de escolas e grupos de teatro, integrante do grupo Teatro da Vertigem desde 1998, foi responsável pela direção da intervenção pública A Última Palavra é a Penúltima e dos espetáculos Kastelo e Mauísmo; co-direção do espetáculo Bom Retiro 958 metros; e direção de cena e assistência de direção dos espetáculos O Paraíso Perdido, O Livro de Jó,Apocalipse 1,11, BR-3, História de amor – Últimos capítulos, e as óperas Dido e Enéas e Orfeo ed Euridice. Atualmente é formadora convidada do curso de Direção da SP Escola de Teatro. Além disso, ministrou oficina para o novo projeto da Trupe Sinhá Zózima e as ações culturais da II Trupe de Choque.
 
No campo das artes é ator, diretor e dramaturgista. Participou como dramaturgista e assessor teórico nos últimos projetos de criação do Teatro da Vertigem. (Bom Retiro 958 metros, Ópera Orfeo ed Eurídice, Projeto de residência artística Vrac/L'escaut-Bruxelas, Projeto Cidade Submersa, peça Cartas de Despejo). Mestre em Comunicação Social pela Faculdade Cásper Líbero (FCSCL) e pesquisador do Grupo de Pesquisa Cultura e Comunicação na Sociedade do Espetáculo da Faculdade Cásper Líbero. Pós-graduado em Fundamentos da Cultura e das Artes pela UNESP/SP e, atualmente, integra o Grupo de Estudos em Estética Contemporânea na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas – FFLCH/USP. É artista convidado da SP Escola de Teatro e professor da Escola de Atores do TUCA-PUC/SP.  Integrou o grupo de crítica teatral Arte Crítica.  
 

Aluno

Para estudantes interessados em atuação, encenação, cenografia, iluminação, sonoplastia, como também, interessados em artes visuais, performance, literatura, dramaturgia, música, arquitetura etc.
Pré-requisitos: idade mínima de 18 anos. 
Seleção: Enviar mini-currículo para programacao@barco.art.br 
Carga horária total:  32h – 8 encontros
 
 
 


quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Campus Sorocaba realiza a 5ª Semana de Turismo entre os dias 21 e 25 de outubro

 
 
Agenda do evento é composta por palestras, atrações culturais, workshops, visita técnica e apresentação de trabalhos acadêmicos

O Campus Sorocaba da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) realiza, de 21 a 25 de outubro, a V Semana de Turismo, organizada pelos estudantes em parceria com a coordenação e docentes do curso. A Semana aborda nesta edição o tema "Da teoria à prática: conheça o perfil e as perspectivas do profissional de Turismo" e a programação conta com palestras, atividades gastronômicas, workshops, visita técnica, apresentações de trabalhos acadêmicos e atrações culturais. 

A abertura do evento será com a banda "O Grande Grupo Viajante", que se apresenta no dia 21/10, às 9 horas. Entre os palestrantes da Semana, está o presidente da Associação Brasileira de Turismólogos e Profissionais do Turismo (ABBTUR), Elzário Pereira da Silva Júnior, que aborda a legislação dos turismólogos, no dia 23/10, às 14 horas. Artigos, pesquisas e projetos acadêmicos que tratam do Turismo e suas abrangências serão apresentados no dia 25/10, a partir das 8 horas. 

As inscrições para a V Semana de Turismo podem ser feitas até a próxima quinta-feira, dia 17 de outubro, pela internet. Após preencher a ficha de inscrição, o interessado em participar deve depositar o valor de R$ 10 em conta indicada na página eletrônica do evento e enviar a cópia digitalizada do comprovante de pagamento para o email comunicacao.sematur@gmail.com. Haverá a possibilidade de inscrição presencial no primeiro dia da Semana (21/10), mas o valor será de R$ 15. Serão emitidos certificados de participação.

A maioria das atividades ocorrerá no Auditório do edifício ATLab, mas, caso haja qualquer alteração, todos os participantes serão avisados previamente pela Comissão Organizadora, que estará identificada no evento, e através de cartazes e informes. 
 
A programação completa, a ficha de inscrição e outras informações podem ser acessadas na página eletrônica do evento (http://comunicacaosematur.wix.com/semanadeturismo#!home/
mainPage).  O Campus Sorocaba da UFSCar fica no km 110 da Rodovia João Leme dos Santos (Estrada Sorocaba-Salto de Pirapora), no Bairro Itinga.

Contraplano desta sexta-feira, 18, debate a ditadura militar brasileira sob o olhar do cinema

 
O cineasta Ugo Giorgetti e o psicanalista Tales Ab'Saber trocam ideias sobre difícil momento da história do Brasil em filmes como Terra em Transe e Hitler 3° Mundo

 

O SescTV (disponível em todo o país pelos sistemas Net, Sky e OiTV e pelo site www.sesctv.org.br) coloca em debate nesta sexta-feira, 18 de outubro, às 22h, o olhar do cinema brasileiro e latino-americano sobre a ditadura militar brasileira, na época e nos dias de hoje. Este será mais um episódio inédito do programa Contraplano. Com o tema "Poder", a troca de ideias acontecerá entre o cineasta Ugo Giorgetti e o psicanalista Tales Ab' Saber, sob mediação do jornalista Miguel De Almeida.

A discussão de como a vida é interpretada pela chamada sétima arte é o fio condutor do programa. Para instigar e motivar o debate são exibidas sequências de filmes. Nesta sexta-feira serão apresentados: Terra em Transe (de Glauber Rocha), Hitler 3º Mundo (de José Agripino de Paula), Ação Entre Amigos (de Beto Brant) e Cidadão Boilesen (de Chaim Litewski).

A direção e o roteiro são de Luiz R. Cabral e a produção executiva é de Beto Tibiriçá. Além do horário especial, às sextas-feiras, Contraplano tem reapresentações aos sábados, às 04h, aos domingos, à meia-noite, às segundas-feiras, às 01h, e às quartas-feiras, à meia-noite e às 20h.

"A série Contraplano promove a reflexão de temas do cinema nacional e latino-americano – como possibilidade de estreitar a troca de informações e ampliar o pensamento entre o Brasil e a América Latina –, realidades tão próximas historicamente e que encontram no cinema um convite ao debate. Promover a reflexão a partir de valorização da pluralidade cultural é uma das propostas da ação do Sesc", afirma Danilo Santos de Miranda, diretor regional do Sesc São Paulo.

Cada tema e a lista de filmes apresentados foram objeto de pesquisa prévia. Pelo menos quatro filmes são debatidos em cada episódio. Paradoxos da Religião, Traços da Violência Urbana e Mulheres Contemporâneas são alguns dos assuntos abordados. "Os filmes tratados não privilegiam escolas ou tendências - todos servem para municiar o olhar sobre as questões como cultura e política", conta o produtor executivo, Beto Tibiriçá.

Os debatedores dos 49 episódios são: Ivana Bentes – ensaísta, professora e curadora; Mary Del Priore – Doutora em história e escritora; Ugo Giorgetti – cineasta; Tales Ab´Saber – psicanalista; Hugo Possolo – ator, palhaço, dramaturgo e diretor; Tadeu Chiarelli – professor e curador de Artes Plásticas; Celso Favaretto – professor de Filosofia; Reinaldo Moraes – escritor e autor de Pornopopéia; Luiz Áquila – pintor, desenhista, gravador e professor; e Geraldo Carneiro – poeta, ensaísta, tradutor e roteirista de cinema e TV.

"Contraplano permite compreender a história da América Latina sob diferentes pontos de visão, por meio, por exemplo, de filmes do cinema novo ou marginal, de comédias e documentários. Afinal, o cinema sempre foi uma testemunha ocular da história", relata Miguel De Almeida.

 

Interação com o site

O SescTV tem um site sobre o Contraplano – http://contraplano.sesctv.org.br-, criando um acervo de pesquisa sobre o cinema brasileiro. Além de todos os 49 episódios da série, os 124 programas do Sala de Cinema – exibido pelo SescTV –fazem parte do acervo na web.

O Sala de Cinema reúne e aborda o perfil de diretores, roteiristas, atores, fotógrafos, produtores, críticos e demais profissionais das diferentes áreas que constituem a produção da obra cinematográfica brasileira.

Para aprofundar o conteúdo do site são disponibilizadas as pesquisas desenvolvidas para realização dos 49 programas Contraplano, além de textos produzidos exclusivamente por profissionais ligados à produção, reflexão e pesquisa do cinema brasileiro e latino-americano, incluindo os debatedores que estão em cada episódio na televisão.

 

 

Ficha Técnica:

Contraplano

49 programas

Duração: aproximadamente 52 minutos cada

Apresentação e Direção Artística: Miguel De Almeida

Direção e Roteiro: Luiz R. Cabral

Produção Executiva: Beto Tibiriçá

Pesquisa: Francis Vogner dos Reis

 

 

Sequência de episódios até o fim do ano

25/10 - Quem Tem Medo de Pornochanchada? – Debatedores: Hugo Possolo e Tadeu Chiarelli
01/11 - Traços da Violência Urbana – Debatedores: Mary Del Priore e Ivana Bentes
08/11 - Um Cinema Antropofágico – Debatedores: Celso Favaretto e Geraldo Carneiro
15/11 - Inimigos Públicos no Passado, Heróis Hoje – Debatedores: Ugo Giorgetti e Tales Ab' Saber
22/11 - Juventude – Debatedores: Hugo Possolo e Tadeu Chiarelli
29/11 - Mulheres Contemporâneas – Debatedores: Mary Del Priore e Ivana Bentes
06/12 - Hollywood Imaginário Latino-Americano – Debatedores: Celso Favaretto e Geraldo Carneiro
13/12 - Cotidiano Clandestino – Debatedores: Ugo Giorgetti e Tales Ab' Saber
20/12 - Relações Contemporâneas – Debatedores: Hugo Possolo e Tadeu Chiarelli
27/12 - Olhares sobre a Favela – Debatedores: Mary Del Priore e Ivana Bentes

 

 

 

Para sintonizar o SescTV:

Canal 3, da Sky; canal 137, da NET; canal 29, da Oi TV; ou consulte sua operadora.

Assista também online em sesctv.org.br/aovivo

Siga o SescTV no Twitter: http://twitter.com/sesctv

E no Facebook: https: facebook.com/sesctv

 

 

 

 

SERVIÇO:

Dois Olhares, Uma Época Debatedores: Ugo Giorgetti e Tales Ab' Saber

Exibição: 18 de outubro (sexta-feira) às 22h

Reapresentações: 19/10 (sábado), às 4h; 20/10, (domingo), às 0h; 21/10, (segunda-feira), à 1h; e 23/10 (quarta-feira), às 0h e às 20h.

Classificação Indicativa: 16 anos

 

 

terça-feira, 15 de outubro de 2013

ONG relança Coleção Fradim, do cartunista Henfil

                                                      A Coleção Fradim, do cartunista Henfil, está de volta

Sob o selo "25 anos sem Henfil – 'Morro, mas meu desenho fica'", ONG lança edições comemorativas com o objetivo de recuperar a preservar a obra do criador da Graúna

 

Em 2013 completam-se 25 anos da morte do cartunista, jornalista e escritor brasileiro Henrique de Sousa Filho, o Henfil. Com o objetivo de homenagear este importante artista e preservar a memória de seu trabalho, a ONG paulista Henfil – Educação e Sustentabilidade, em parceira com o Instituto Henfil do Rio de Janeiro, acaba de relançar a Coleção Fradim, que soma 31 revistas originalmente publicadas entre 1971 e 1980 com tirinhas e histórias dos personagens Cumprido e Baixim, os "Fradins" propriamente, além dos também conhecidos Graúna, Bode Orelana e Capitão Zeferino, a "Turma da Caatinga", tudo com muitos toques de humor e contestação, que são as principais marcas do trabalho do cartunista.

Sob o selo especial "25 anos sem Henfil – 'Morro, mas meu desenho fica'", o projeto ganhou uma adicional "Edição 0", que faz um apanhado geral de toda a coleção. O números 0, 1, 2 e 3 foram apresentados com muito sucesso ao público durante a Bienal do Livro do Rio de Janeiro. Agora já são 13 volumes disponíveis para compra, e pelo menos mais cinco chegam ao mercado até o final do ano. A ideia é que antes que se conclua o primeiro semestre de 2014 todas as edições estejam disponíveis para novos fãs e velhos colecionadores.

"Como filho de Henrique de Souza Filho, o Henfil, cresci lendo essas revistas, aguardando ansiosamente o lançamento de cada novo número e me deliciando com as estórias dos Fradinhos, Baixim e Cumprido, da Turma da Caatinga, Capitão Zeferino, Bode Orelana e Graúna, que meu pai dizia serem meus 'irmãos'. A volta deles, para mim, é como a volta de uma parte do Henfil", conta Ivan Cosenza de Souza, filho do cartunista.

As edições já disponíveis podem ser compradas individualmente ou em "pacotes" no site www.lojavirtual.cursinhohenfil.org.br/colecao-fradim

 

 

 

 

 

Henfil – o mais brasileiro dos cartunistas

 Henrique de Souza Filho ficou conhecido como Henfil, ou "o mais brasileiro dos cartunistas". Foi descoberto e lançado na revista Alterosa, de Minas Gerais, no início da década de 60, mas foi no final dos anos 1960, quando se mudou para o Rio de Janeiro que seu sucesso começou. Primeiro, no Jornal dos Sports, onde criou o mascote do Flamengo e popularizou os dos outros clubes cariocas, como "Urubu", "Pó de Arroz", "CRI-CRI" e "Bacalhau". Depois, no O Pasquim, com os Fradins e a turma da caatinga.

 Com seus traços rápidos e suas críticas mordazes, influenciou a vida política e social do país, participando de movimentos políticos importantes, como o da Anistia, e lançando a campanha pelas diretas, criando o bordão "Diretas Já!".

 Henfil não foi só um cartunista, era um humorista completo. Fez cartoons, charges e quadrinhos para os principais jornais do Rio de Janeiro e alguns dos mais importantes por todo o Brasil. Fez crônicas políticas, lançou revistas em quadrinhos, escreveu livros que se tornaram best-sellers e uma peça de teatro, a "Revista do Henfil", e o filme "Tanga (deu no New York Times)" ganhador do "Sol de Ouro" de melhor filme no Rio Cine Festival – que além de escrever, dirigiu e atuou.

  Na televisão fez o quadro TV Homem, com divertidíssimos esquetes dentro do programa TV Mulher, e os "cartoons animados" dentro do Jornal da Globo, criação aproveitada pela Rede Globo nas vinhetas que marcaram os intervalos da emissora durante muitos anos.

 Henfil, que sempre usou a arte para denunciar as injustiças sociais e o descaso político, acabou sendo vítima de um deles. Hemofílico, contraiu o vírus da AIDS numa transfusão de sangue, morrendo um mês antes de completar 44 anos.

 Seus trabalhos, sempre com forte conteúdo político e social, continuaram sendo publicados em vários jornais e exibidos em várias exposições, atraindo principalmente o público jovem, recebendo elogios pela sua atualidade.

 

Sobre a ONG Henfil – Educação e Sustentabilidade

Henfil – Educação e Sustentabilidade é uma ONG que atua há mais de dez anos nas áreas de vestibular e ENEM e hoje desenvolve diversos projetos, como a revista paradidática Glocal, a TV Henfil, o Guia ENEM, o Curso ENEM e o Cursinho Comunitário Pré-Vestibular. Mateus Prado, educador e presidente de honra da instituição, fala sobre o projeto e a obra do homenageado: "Quando, perto do ano 2000, resolvemos fundar uma ONG atuante nas áreas de educação, cultura, saúde e meio ambiente, uma das principais referências de luta era o trabalho do Henfil. Camisetas com desenhos da Graúna dizendo "Tô vendo uma Esperança" nos nutriam com força e tornou imperativo homenageá-lo, batizando nosso projeto com seu nome. Depois da fundação da ONG que eu conheci toda a coleção do Fradim. Antes só tive contato com partes da obra. A cada livro lido, eu saía mais disposto à construção de um Brasil melhor e certo de que precisávamos avançar. Neste momento em que se completam 25 anos da morte do Henfil, damos um passo fundamental para trazer seus traços e ideias para mais próximo das novas gerações com o lançamento da edição comemorativa da Coleção do Fradim, e esse passa a ser o maior orgulho entre todos os nossos trabalhos. É um presente nosso para o Brasil, que espera a volta do Henfil".

 

Serviço:

O que? Coleção Fradim

Quanto? R$ 15 cada volume (31 + 1)

Onde encontrar? www.lojavirtual.cursinhohenfil.org.br/colecao-fradim

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

https://www.amazon.com.br/b/ref=as_li_ss_tl?ie=UTF8&node=17168019011&linkCode=ll2&tag=A19CP32JCSRLOQ&linkId=01fc9732c02565116e2c98be2526c454