quarta-feira, 31 de julho de 2013

MG: MPB Petrobras apresenta Flavio Venturini em Belo Horizonte

Belo Horizonte receberá mais uma edição do MPB Petrobras. No próximo sábado (27/07), às 21h, o cantor e compositor mineiro Flávio Venturini se apresenta no Grande Teatro Palácio das Artes, com show de abertura da também mineira Déa Trancoso. O projeto MPB Petrobras, criado há 16 anos e apresentado em dez capitais, retorna a Belo Horizonte para promover a música popular brasileira nacional e local e democratizar o acesso a espetáculos de qualidade. O projeto conta com o patrocínio exclusivo da Petrobras e é uma realização da Caderno 2 Produções Artísticas, com produção local da Cria! Cultura. Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do teatro por R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia-entrada).

 

Um dos principais cantores, compositores e instrumentistas brasileiros, Flavio Venturini apresentará no palco do MPB Petrobras as canções que marcaram sua trajetória, iniciada na década de 70 com o Clube da Esquina, movimento musical referência na história da música popular brasileira. O público vai conferir e aplaudir alguns sucessos do artista como Besame, Nascente, Espanhola e Todo Azul do Mar. Em uma trajetória de 30 anos como cantor, pianista e arranjador, Venturini vendeu mais de 1 milhão de cópias em 25 álbuns, com músicas em trilhas de novelas, além de trabalhos para o teatro e o cinema. 

Atração Local – Déa Trancoso

A mineira Déa Trancoso abre o show do MPB Petrobras. Cantora, compositora e produtora cultural, Déa comemorou, no ano passado, 25 anos de música e de uma carreira dedicada a mostrar o Brasil para o mundo e para os brasileiros. No seu currículo, estão duas indicações para o Prêmio da Música Brasileira e participações em importantes coletâneas, como "CHILL BRASIL 5", junto com Mônica Salmaso, Roberta Sá, Mart'nália e Céu, e "CHILL'N'BOSSA", ao lado de nomes como João Gilberto e Milton Nascimento. Neste show, Déa Trancoso apresenta as músicas de seu primeiro disco autoral, Serendipity, acompanhada dos violonistas Rogério Delayon e Ricardo Novais.

Serviço: MPB Petrobras

Show: Flavio Venturini
Show de Abertura: Déa Trancoso
Dia: 27 de julho
Horário: 21h
Local: Grande Teatro Palácio das Artes
Convites: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia-entrada)
Classificação: 16 ano

Espetáculo Dama da Noite em nova temporada em SP a partir de Agosto no Espaço Cultural Pinho de Riga

O monólogo – um dos textos mais importantes de Caio Fernando Abreu – é protagonizado por Luiz Fernando Almeida

 

O monólogo "Dama da Noite", texto de Caio Fernando Abreu, retorna a São Paulo para sua segunda temporada  a partir de 03/08 , as 21h, e permanece em cartaz sempre aos sábados ate o final de Setembro ( 28/09) no Espaço Cultural Pinho de Riga.

O ator Luiz Fernando Almeida encarna a personagem e as angústias de um ser humano que não se sente inserido no mundo que vê e vive. O espetáculo tem direção de Andre Leahun.

Em um cenário que é uma residência, mas que pode ser também um clube ou o que a imaginação do público desejar, a "Dama da Noite" não se limita à atuação e instiga um diálogo com seu público em clima intimista.

O premiado espetáculo mostra ao público um conto do escritor que, mesmo depois de sua morte, faz sucesso nas redes sociais com frases de várias de suas obras compartilhadas pelos usuários.

O espetáculo

"Dama da Noite" estreou em abril de 2011 e cumpriu 9ª temporadas na cidade de Santos, sempre com enorme sucesso de público e crítica. O espetáculo ganhou o segundo lugar no Prêmio Nacional de Cultura de Mogi das Cruzes, na categoria Teatro Adulto, em 2011 e também foi indicado ao premio Papo Mix da Diversidade Sexual na categoria Melhor Espetáculo Teatral em 2012.

O ator

No teatro desde 1990, Luiz Fernando recebeu o Prêmio Plínio Marcos de Melhor Ator Coadjuvante pelo espetáculo "Quando os olhos se fecham" (2009). No XVIII Festac também foi escolhido Melhor Ator Coadjuvante por "O que terá acontecido a Rosemary?" (2010).

Dama da Noite na internet:

www.damadanoiteteatro.blogspot.com

https://www.facebook.com/pages/Dama-da-noite/619325561416871

@damadanoite

Serviço :

Dama da Noite

Sábados de Agosto e Setembro de 2013 às 21:00

Ingressos:  $ 20 ( inteira) $10 ( meia) $5 moradores do Bixiga.

Espaço Cultural Pinho de Riga
www.espacoculturalpinhoderiga.com.br

Rua Conselheiro Ramalho, 599
Bela Vista - Centro
(11) 9 6373-7090

Ver no mapa

Observação

A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo para retirada dos ingressos / Capacidade do local: 50 pessoas

Luiz Fernando Almeida

13 81618751 ( whatsapp)

www.superbacanaproducoes.wordpress.com

www.facebook.com/superbacana.producoes

www.facebook.com/luizfernandoalmeida

Twitter/instagram: @superbacanaprod

 

 

segunda-feira, 29 de julho de 2013

LENDA DO CINEMA TRASH NA CAIXA CULTURAL SÃO PAULO


Mostra homenageia o cineasta Ed Wood, imortalizado como o melhor dos piores de todos os tempos


A CAIXA Cultural São Paulo apresenta, de 16 a 30 de agosto, a mostra Ed Wood – O melhor dos piores de todos os tempos. Na programação, oito longas-metragens do cineasta, o filme-homenagem Ed Wood, de Tim Burton, e o documentário Look back in angora, de Ted Newsom, além de uma mesa-redonda. A curadoria é de Kristofer Paetau. Com entrada franca, a mostra tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal.
O cineasta norte-americano Ed Wood (1924-1978) foi imortalizado, em 1980, pelo Turkey Awards, uma espécie de Oscar do cinema trash, como o "melhor dos piores de todos os tempos". A mostra em cartaz na CAIXA Cultural São Paulo traz filmes como Plan 9 from outer space (Plano 9 para o espaço sideral, 1956), tesouro do cinema trash em que alienígenas vêm à terra ressuscitar os mortos, Bride of the monster (A noiva do monstro, 1955), trama em que um polvo gigante criado por um cientista nuclear maluco atormenta uma pacata cidadezinha do interior, e Glen or Glenda (Glen ou Glenda, 1953), que traz os dilemas de um transexual e de um pseudo-hemafrodita que deseja se transformar em mulher.

A mesa-redonda será realizada no dia 16 de agosto, após a exibição do documentário Look back in angora, de Ted Newsom. A vida do cineasta será analisada pelo curador-geral da mostra, Kristofer Paetau, pelo curador-assistente e pesquisador da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Hernani Heffner, e pela pesquisadora e estudante de cinema da Universidade Anhembi Morumbi de São Paulo, Laura Capena. Na abertura, serão distribuídos catálogos da mostra ao público.  

Programação:
16 de agosto de 2013 (sexta-feira)
18h - Look back in angora (1994) – 51 min
17 de agosto de 2013 (sábado)
16h - Bride of the monster (A noiva do monstro, 1955) – 69 min
18h - Plano 9 para o espaço sideral (1959) – 79 min
18 de agosto de 2013 (domingo)
16h - Night of the ghouls (A noite das assombrações, 1959) – 79 min
18h - Ed Wood (1994) – 127 min
20 de agosto de 2013 (terça-feira)
16h - Glen or Glenda? (Glen ou Glenda?, 1953) – 65 min
18h - Plan 9 from outer space (Plano 9 para o espaço sideral, 1959) – 79 min
21 de agosto de 2013 (quarta-feira)
16h - Orgy of the dead (1965) – 92 min
18h - Night of the ghouls (A noite das assombrações, 1959) – 79 min
22 de agosto de 2013 (quinta-feira)
16h - Glen or Glenda? (Glen ou Glenda?, 1953) – 65 min
18h - Ed Wood (1994) – 127 min
23 de agosto de 2013 (sexta-feira)
16h - Look back in angora (1994) – 51 min
18h - Bride of the monster (A noiva do monstro, 1955) – 69 min
24 de agosto de 2013 (sábado)
16h - The violent years (1956) – 65 min
18h - The sinister urge (1960) – 71 min
25 de agosto de 2013 (domingo)
16h - A face da morte (1954) – 71 min
18h - Plan 9 from outer space (Plano 9 para o espaço sideral, 1959) – 79 min
27 de agosto de 2013 (terça-feira)
18h - Glen or Glenda? (Glen ou Glenda?, 1953) – 65 min
28 de agosto de 2013 (quarta-feira)
16h - Orgy of the dead (1965) – 92 min
18h - Ed Wood (1994) – 127 min
29 de agosto de 2013 (quinta-feira)
16h - The violent years (1956) – 65 min
18h - Bride of the monster (A noiva do monstro, 1955) – 69 min
30 de agosto de 2013 (sexta-feira)
16h - Plan 9 from outer space (Plano 9 para o espaço sideral, 1959) – 79 min
18h - Glen or Glenda? (Glen ou Glenda?, 1953) – 65 min
Serviço:
Cinema: Ed Wood - O melhor dos piores de todos os tempos
Local: CAIXA Cultural São Paulo – Praça da Sé, 111
Data: De 16 a 30 de agosto de 2013 (de terça-feira a domingo)
Hora: Consultar programação
Ingressos: Entrada franca (os ingressos poderão ser retirados com uma hora de antecedência)
Lotação: 50 lugares
Informações: (11) 3321-4400
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 16 anos
Acesso para pessoas com deficiência

Piauí vem para São Paulo de mala e cuia

 
De 5 a 11 de agosto, o shopping Eldorado em São Paulo, receberá a 9ª Mostra Piauí Sampa, evento promovido pelo Sebrae-pi que tem como proposta apresentar as principais potencialidades da região. Quem visitar o evento poderá conhecer e apreciar a inédita e nutritiva carne de caju, as danças típicas, as músicas tradicionais, a gastronomia regional, as joias feitas das preciosas pedras de Opala, o artesanato da região, além das rodadas de negócios entre os empreendedores piauienses com grandes redes varejistas de São Paulo.

 

 

Este ano a Mostra terá como cenário o 'Museu do Homem Americano', localizado no Parque nacional da Serra da Capivara.Lugar onde foi encontrada a primeira ossada do homem americano no Brasil.Durante o evento ocorrerá uma exposição onde será exibido resultados baseados em pesquisas feitas sobre a pré-história no Brasil.

Uma das atrações do evento será uma projeção animada das pinturas rupestres, dividida por temas, que mostrará o cotidiano do homem pré-histórico.  No espaço interativo, os visitantes poderão escolher alguns sítios arqueológicos que não são acessíveis ao público para explorar as pinturas com um mouse 3D, e também, com pincel em movimento, escavar em uma tela que revelará as imagens dos trabalhos arqueológicos. Pontos turísticos da Serra da Capivara também serão exibidos por toda exposição, que foi concebida por Sergio Santos, museólogo, têm experiência de mais de 13 anos em produção de exposição e já atuou em grandes mostras nacionais e internacionais, como a exposição 'Mais de 1000 Brinquedos', no Sesc Pompeia, 'Cai Guo Quiang', no Centro Cultural do Banco do Brasil e 'Água na Oca', no Parque Ibirapuera.

Serviço

9ª Mostra Piauí Sampa

5 a 11 de agosto de 2013

Entrada gratuita – aberto ao público no horário do shopping.

Shopping Eldorado – Átrio Pinheiros (Térreo) e Praça de Eventos (1º Piso)

Av. Rebouças, 3970 – São Paulo – SP

 

Facebook:  http://www.facebook.com/piauisampa2013  

Twitter:  twitter.com/piauisampa2013

Site: www.piauisampa.com.br

 

SEDE HISTÓRICA DO GOVERNO DE MINAS GERAIS, PALÁCIO DA LIBERDADE VIRA MUSEU INTERATIVO

 

Espaço integra o Circuito Cultural Praça da Liberdade, que reúne outros sete museus na região Centro-Sul de Belo Horizonte, em Minas Gerais

 

 

O Palácio da Liberdade, sede histórica do governo de Minas Gerais, e um dos principais cartões postais de Belo Horizonte, transforma-se definitivamente em atração turística a partir desta segunda-feira (29/7). A nova museografia, concebida pelo designer e curador Marcello Dantas, propõe uma viagem interativa pela história política de Minas e do país, por meio de modernas tecnologias de vídeo, animação e outras mídias digitais.  A inauguração ocorrerá às 17h, com as presenças do governador Antonio Anastasia e da secretária de Cultura de Minas, Eliane Parreiras.

 

A exposição permanente "Palácio da Liberdade – Memórias e Histórias" dispõe, pelos cômodos e pelo mobiliário, objetos como porta-retratos e espelhos, através dos quais são apresentados vídeos e animações com personagens marcantes da política mineira. O público é convidado a interagir com as instalações, que remetem a episódios históricos. Ao atender a um telefone, por exemplo, o visitante ouvirá um diálogo entre o então governador de Minas Gerais Juscelino Kubitschek e o arquiteto Oscar Niemeyer.

 

O prédio central do conjunto arquitetônico da Praça da Liberdade e do Circuito Cultural Praça da Liberdade foi inaugurado em 1897. Em seus salões e gabinetes foram tomadas decisões políticas e ocorreram encontros que definiram a história de Minas Gerais e também a do país.

 

Aos percorrer os 30 cômodos que integram o roteiro de visitas, o visitante vai conhecer detalhes sobre a vida e ações de 16 ex-governadores do estado – de Afonso Pena a Itamar Franco. A pesquisa da exposição "Palácio da Liberdade – Memórias e Histórias" foi feita pela historiadora Maria Eliza Linhares Borges, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e o levantamento iconográfico, por Vanessa Viegas e Solange Santos.

 

O projeto museográfico do Palácio da Liberdade é uma parceria do governo de Minas e da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e custou aproximadamente R$ 1 milhão.

 

Espaço de aprendizagem político-cultural

 

Para o governador Antônio Anastasia, o novo museu é um marco para os mineiros. "A transformação do Palácio da Liberdade em museu é um divisor de águas na história política de Minas Gerais. É o momento em que paramos para olhar para a história e entender, com os recursos da modernidade, grandes personalidades e momentos políticos que transformaram o estado", afirmou. "Estamos entregando à população o mais novo museu do estado com a proposta de ser não apenas um local de lazer, mas principalmente um espaço de aprendizado político-cultural", destaca o governador mineiro.

 

A secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, também ressalta o papel educativo no novo projeto. Segundo ela, a museografia do Palácio da Liberdade alinha-se o conceito dos demais museus do Circuito Cultural Praça da Liberdade que visa, dentre outros, promover e despertar a curiosidade pelo conhecimento. "O objetivo principal é relembrar a história para quem a viveu e torná-la palpável para quem, até então, só tinha ouvido falar. As antigas sedes das Secretarias de Governo já cumprem esse papel, que agora se consagra por meio da entrega do museu Palácio da Liberdade à população", explica Eliane Parreiras.

 

Para garantir que a experiência da visita seja enriquecedora, o Palácio da Liberdade conta com dez educadores disponíveis para orientar moradores e turistas em um percurso com duração média de 1h.

 

O espaço será aberto ao público no domingo, 04 de agosto. A partir daí, as visitações poderão ser feitas aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 16h (entrada, gratuita, até uma hora antes do horário de fechamento). 

 

Sobre o Palácio da Liberdade

 

De traçado neoclássico, o projeto do Palácio da Liberdade mescla padrões arquitetônicos que vão desde o Luís XV (estilo de decoração de interiores e mobiliário que se desenvolve a partir da França durante o reinado de Luís XV, no século 18) ao mourisco (também chamado neo-islâmico, estilo artístico surgido na Europa no século 19, que buscava imitar e recriar a arte islâmica antiga). Seu objetivo era servir como sede administrativa do governo de Minas Gerais e residência oficial dos governadores.

 

O primeiro a ocupar o Palácio foi Chrispin Jacques Bias Fortes (1847-1917), seguido por muitos outros, até que Juscelino Kubitschek, durante seu governo (1951 a 1955), encomendasse ao arquiteto Oscar Niemayer a construção de uma nova moradia para os governadores mineiros, o Palácio das Mangabeiras.

 

A partir da década de 1970 os governadores optaram por trabalhar no Palácio dos Despachos – prédio anexo. O Palácio da Liberdade voltou a ser prestigiado por Tancredo Neves, Eduardo Azeredo, Itamar Franco e Aécio Neves.

 

Grande parte dos materiais utilizados na edificação foi importada da Europa: artefatos de ferro da Bélgica, telhas de Marselha, pinho-de-riga da Letônia, por exemplo. No hall, empregou-se o mármore de Carrara, e os diversos salões do palácio foram recobertos em parquete ricamente trabalhado, formando desenhos geométricos.

 

A escadaria metálica em estilo art nouveau, minuciosamente confeccionada em ferro batido com ornamentação em motivos florais, é considerada obra prima.

 

Entre os principais atrativos do palácio contam o Salão Dourado, no qual se destacam os móveis ao estilo Luis XV; a Sala dos Banquetes, com sua mesa de 8 m que pode ser aumentada para 12 m, e a Sala dos Retratos, que expõe fotos de todos os governadores e presidentes de Minas, desde os tempos em que a capital ficava em Ouro Preto.

 

O Palácio da Liberdade foi incorporado ao Circuito Cultural Praça da Liberdade e aberto à visitação pública em 2010, após a transferência da sede do governo estadual para o Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa de Minas Gerais.

 

Sobre Marcello Dantas

 

Marcello Dantas é reconhecido designer e curador de exposições e diretor de documentários desde 1986. Formado em Cinema e Televisão pela New York University, e pós-graduado em Telecomunicações Interativas pela mesma universidade. Estudou História da Arte e Teoria de Cinema em Florença na Itália e Relações Internacionais e Diplomacia em Brasília.

 

No seu currículo incluem-se prêmios de melhor documentário na Bienalle Internationale du Film Sur L'Art do Centro Georges Pompidou em Paris, no FestRio, no International Film & TV Festival of New York e o prestigioso ID Design Award da Business Week.

 

Entre os seus trabalhos de curadoria de arte destacam as de Bill Viola, Gary Hill, Jenny Holzer, Shirin Neshat, Laura Vinci, Tunga, Peter Greenaway, Ângelo Venosa, Arthur Omar e Anish Kapoor. Nas artes cênicas, Ópera Mundi no Maracanã, o balé Floresta Amazônica de Dalal Achcar e a peça Uma Noite na Lua de João Falcão com Marco Nanini, Como Chegamos Aqui a Historia do Brasil Segundo Ernesto Varela e a opera O Cientista. Em 2006 Dantas inaugurou o Museu da Língua Portuguesa em São Paulo como seu diretor artístico.

 

SERVIÇO

Inauguração da museografia do Palácio da Liberdade

Data: 29 de julho (segunda-feira)

Local: Palácio da Liberdade – Praça da Liberdade, s/n, Funcionários | BH-MG

Horário: 17h

 

 

 

 

Orquestra do Theatro São Pedro recebe a cantora Eliane Coelho


Concerto Lírico vai apresentar obras dos compositores alemães Strauss e Wagner, e terá Eliane Coelho pela primeira vez à frente da Orthesp

Considerada a cantora brasileira com maior destaque no exterior, Eliane Coelho é a próxima convidada da Orquestra do Theatro São Pedro (Orthesp) em sua série de concertos líricos da temporada.  As apresentações acontecem na sexta-feira (02), às 20h30, e no domingo (04), às 17h.

Dentro da busca constante pela pluralidade de interpretações artísticas e pela presença de importantes profissionais da ópera, o mês de agosto receberá dois regentes especializados nesta linguagem. Neste primeiro concerto, teremos a regência do maestro convidado Abel Rocha.  

Eliane Coelho vai interpretar um repertório composto predominantemente de obras de compositores alemães, especialidade da solista.

A primeira parte do programa traz o "Prelúdio e Morte de Amor", da ópera Tristão e Isolda, uma homenagem ao compositor Richard Wagner (1813–1883), cujo bicentenário é celebrado este ano. "Apesar de não termos uma ópera exclusivamente dedicada à Wagner, não quisemos deixar de homenageá-lo, dada sua imensa importância para música lírica. Sua obra estará presente em vários concertos líricos ao longo da temporada", destaca Emiliano Patarra, diretor artístico do Theatro São Pedro e regente titular da Orthesp.

Para mudar um pouco o tom, após a densidade de um drama, a orquestra apresenta o célebre "Capricho Espanhol", de Nikolai Rimsky-Korsakov (1844 – 1908), fechando a primeira metade do concerto.

A segunda parte do programa será totalmente dedicada a outro compositor alemão. Richard Strauss (1864 – 1949) é famoso por sua produção operística. Considerado o maior operista da primeira metade do século XX, sua relação de amor com a voz humana - principalmente a voz feminina - fez com que Strauss dedicasse grande parte de sua obra à canção. Suas "Quatro Últimas Canções", compostas em 1948, estão entre as obras mais importantes da literatura vocal-sinfônica de todos os tempos. Com textos de Herman Hesse e Joseph von Eichendorff, o ciclo fala sobre a morte e a sua aceitação, refletindo a visão de um compositor maturo, no crepúsculo de sua vida.  


Orquestra do Theatro São Pedro (Orthesp)

Composta por 54 músicos, a Orquestra do Theatro São Pedro foi criada para ser o corpo musical exclusivo do teatro e referência em ópera e música lírica em São Paulo.

Suas atividades tiveram início em junho de 2010, com a apresentação de um concerto em homenagem ao compositor Carlos Gomes. Desde então, a Orthesp apresenta-se regularmente aos finais de semana.

Os responsáveis por toda a concepção da Orquestra foram os regentes Roberto Duarte, com ampla experiência internacional, e Emiliano Patarra, que a partir de 2003 passou acompanhar a trajetória do Theatro São Pedro.

O maestro Emiliano Patarra é hoje o regente titular da orquestra e Carlos Morejano, o regente adjunto.

Abel Rocha
Maestro

Diretor artístico do Theatro Municipal de São Paulo e regente titular da Orquestra Sinfônica Municipal nos anos de 2011 e 2012, Abel Rocha é um especialista em ópera, mas sua posição de destaque no cenário brasileiro se deve a uma atuação versátil e diversificada, no repertório sinfônico e também na direção musical de espetáculos cênicos, como balés, peças de teatro, e de diversos shows e musicais.

Com intensa atuação no universo operístico, foi o responsável pela regência e direção musical de títulos dos mais importantes compositores do gênero, do barroco de Monteverdi (Il Combattimento di Tancredi e Clorinda, L'Orfeo e Il ballo delle Ingrate) à modernidade de Schönberg (Erwartung) e Debussy (Pelléas et Mélisande), passando por Händel (Alcina), Purcell (Dido and Aeneas), Mozart (Le Nozze di Figaro e Die Zauberflöte), Rossini (Il Barbiere di Siviglia), Donizetti (Il Campanello di Notte e L'Elisir d'Amore), Ricci (La Serva e l'Ussero), Verdi (La Traviata), Bizet (Carmen) e Puccini (Gianni Schicchi, Madama Butterfly e La Bohème ), Leoncavallo (I Pagliacci), Poulenc (La Voix Humaine) e Menotti (The Telephone). Realizou as estreias mundiais de títulos brasileiros como Anjo Negro, de João Guilherme Ripper, Brasil outros 500, de Toquinho e Millôr Fernandes, e A Tempestade, de Ronaldo Miranda. Trabalhou, ainda, como diretor de voz e maestro residente da Cia. Brasileira de Ópera.

Entre 2004 e 2009, teve atuação marcante como diretor artístico e regente titular da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, na qual empreendeu uma profunda reestruturação artística e administrativa.

Nos últimos anos, Abel Rocha conduziu diversos programas sinfônicos à frente das mais importantes orquestras brasileiras, tais como a Sinfônica Brasileira (OSB), Sinfônica de Porto Alegre, Filarmônica de Minas Gerais, Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro (Brasília), Camerata Antiqua de Curitiba, Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), Experimental de Repertório (OER), Sinfônica Municipal de São Paulo, Jazz Sinfônica, Sinfônica do Paraná, Sinfônica de Londrina, Sinfônica da Bahia, Sinfônica da Universidade de São Paulo (Osusp), Sinfônica de Santos, Sinfônica de Ribeirão Preto, Sinfonia Cultura, Sinfônica Paulista, Orquestra de Câmara da Unesp, etc. Em 2010, estreou como regente convidado frente à Orquestra Sinfônica do SODRE, de Montevidéu.  

Como regente coral, foi diretor do Coral Paulistano (Theatro Municipal, de 1987 a 1990), presidente da APARC – Associação Paulista de Regentes Corais (de 2000 a 2004) e diretor artístico do coral Collegium Musicum de São Paulo (de 1983 a 2010).

Além da carreira artística, Abel Rocha tem sido professor e regente em diversos festivais de música. Atualmente, é professor de regência da Unesp.

As várias facetas de sua atividade profissional renderam a Abel Rocha diversos prêmios, entre os quais o de Melhor Regente Coral nos anos de 1987 e 1995, conferidos pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), o 1º lugar no VIII Concurso Nacional de Corais do Rio de Janeiro, em 1982, e o 3º lugar no Concurso Nacional de Corais de São Paulo, em 1996. Foi duas vezes indicado para o Prêmio Carlos Gomes, na categoria Grupo Coral.

Formado pela Unesp, realizou especialização em regência de ópera na Robert-Schumann Musikhochschule de Düsseldorf, Alemanha, e obteve o doutorado pela Unicamp. Durante os anos de formação foi orientado por Hans Kast, Roberto Schnorrenberg e Eleazar de Carvalho.

Eliane Coelho
Soprano

Carioca, diplomou-se na Escola Superior de Musica e Teatro de Hannover, para depois seguir uma brilhante carreira no exterior.

De 1983 a 1991, atuou na Opera de Frankfurt, na Alemanha e, a partir de setembro de 1991, na Opera de Viena, Austria, na qual recebeu o titulo de Kammersängerin em 1998. Neste prestigioso espaço vienense, teve numerosos papeis, entre eles: Tosca, Butterfly, Maria Stuarda, Fedora (com Placido Domingo), Madeleine (Andrea Chenier), Arabella, Salome (Herodiade, com Placido Domingo, Jose Carreras, Ferruccio Furlanetto), Margherita e Elena (Mefistofele), Elettra (Idomeneo, regência de Sir Colin Davis)

Também cantou em muitas óperas de Verdi: Lady Macbeth (com Leo Nucci), Leonora (Trovatore), Aida, Desdemona (Otello, com Renato Bruson), Lina (Stiffelio, com Renato Bruson, Placido Domingo, Jose Carreras), Elena (Vespri Siciliani, com Ferruccio Furlanetto, Renato Bruson), Elisabetta (Don Carlo), Elvira (Ernani), Abigaille (Nabucco, com Leo Nucci), Helene
(Jerusalém, com Jose Carreras, Ferruccio Furlanetto, Samuel Ramey e regência de Zubin Metha).

Como convidada, se apresentou em muitos outros teatros: La Scala (Butterfly, com Maestro Riccardo Chailly), Bastille (Salome, com Maestro Donald Runnicles), Festival Aix-en-Provence
(Elettra, Idomeneo), Stockholm (Arabella, Aida, Tosca), Munique (Salome, Donna Elvira, Elettra), Berlin (Salome, Butterfly, Tosca, Aida ,Turandot), Dresden (Salome, Butterfly, Aida), Nice ( Elettra), Marseille( Salome), Copenhagen (Salome, Butterfly), Napoles (Tosca), Torino (Lulu, Elettra), Catania (Elettra), Budapest (Salome), Sofia (Maria Tudor), Bucarest (Simone Boccanegra, Gioconda, I due Foscari), Praga (Salome), Sao Petersburgo(Salome), Valencia (Salome), Zurique (Mimi, Andrea Chenier, Fedora), Tokio, entre outros.

De todos os papeis que ja cantou, o que mais se destaca é a Salome de Strauss, que a acompanha desde 1986, e que ela interpretou cerca de 150 vezes. Seu repertório é muito extenso, e continua se enriquecendo com novos papeis. Nos últimos anos, cantou La Gioconda em São Paulo e Manaus. Em Manaus, também cantou Lady Macbeth de Mzensk, de Schostacovich e sua primeira Isolda.

Em 2012 cantou sua primeira Brünnhilde no Crepúsculo dos Deuses em São Paulo.


SERVIÇO
Orquestra do Theatro São Pedro
Theatro São Pedro
Regência: Abel Rocha
Solista: Eliane Coelho (soprano)

Programa:
R. Wagner
Prelúdio e Morte de Tristão e Isolda
Rimsky-Korsakov
Capricho Espanhol
Richard Strauss
As Quatro Últimas Canções

Sexta-feira, 02/08, às 20h30, e domingo, 04/08, às 17h, no Theatro São Pedro
Rua Albuquerque Lins, 207 – São Paulo - SP
Metrô Marechal Deodoro
Tel. (11) 3667-0499
Capacidade: 636 lugares
Duração: 90 minutos
www.theatrosaopedro.org.br
Ingressos:
Preços: R$ 30,00 (Inteira) e R$ 15,00 (meia-entrada)
Descontos
Estudantes, aposentados, pessoas acima dos 60 anos e professores da rede pública estadual, devidamente identificados, têm desconto de 50% nas assinaturas.
Bilheteria: terça a domingo, das 10h às 13h e das 14h às 18h. Em dia de evento noturno, até o início do espetáculo.
Ingresso rápido: (11) 4003-1212 / www.ingressorapido.com.br

sábado, 27 de julho de 2013

Concurso de poesias, cronicas e contos


“A Morte do Rinoceronte”, exposição de Otavio Cury

Copyright © 2013 Icarabe.org

O diretor de cinema Otavio Cury é o convidado da Kunsthalle São Paulo para a série Urbanidades, que chega à sua terceira edição. Otavio apresenta sua primeira exposição individual, com curadoria de Marina Coelho.
Inicialmente pensado para ser uma instalação em praça pública, o projeto A Morte do Rinoceronte, transformou-se em uma fotonovela que aborda temas de civilidade e urbanidade, ao colocar a produção de lixo como uma questão fundamental para sociedade atual. A fotonovela retrata um personagem – representado pelo artista em uma série de auto-retratos – que convive com dezenas de sacos de lixos em sua casa. Esses sacos, cujos conteúdos permanecem desconhecidos ao observador, ocupam espaços de outros seres humanos, tanto na casa quanto no sentimento angustiado do personagem.
Por diversas vezes, o livro  "O Rinoceronte", uma peça escrita para o teatro do absurdo pelo romeno Eugene Ionesco nos anos 1950, aparece nas fotografias. No texto deste livro, as pessoas de uma vila francesa começam a se transformar em rinocerontes verdes, e tudo é perfeitamente aceito.
Relacionando a produção de seu lixo com o texto do livro, o artista questiona com sua fotonovela do absurdo a aceitação de nossa sociedade, que vive em um desenfreado consumo, gerando a destruição, não apenas da natureza, mas também de sua própria condição humana, enquanto inverte valores primordiais da vida, como o respeito a outros seres, solidariedade e compaixão.
Na exposição serão apresentadas: as fotografias impressas da fotonovela; uma instalação composta por sacos de lixos que obstruem a visão e a passagem dos visitantes em determinados locais do espaço expositivo; frases que fazem referência aos supostos conteúdos dos sacos; um pequeno vídeo com imagens em preto e branco filmadas em Super 8, sobre a chuva em São Paulo; e ainda uma instalação onde o observador é convidado a folhar o livro RInoceronte enquanto se senta em frente a um dos sacos de lixo.
Para acompanhar a exposição a Kunsthalle São Paulo lança, juntamente com o artista Otavio Cury, a edição limitada com exemplares numerados e assinados do livro de artista  "A Morte do Rinoceronte", que contém as fotografias componentes da exposição e o roteiro de um curta metragem que dará continuidade ao projeto.

Serviço:
“A Morte do Rinoceronte”, exposição de Otavio Cury
Abertura:
 13 de julho, das 16h às 20h
Visitação: de 13 de julho a 10 de agosto, de quarta a domingo, das 11h às 19h
Endereço: 
KUNSTHALLE São Paulo - Rua dos Pinheiros, 411 – Pinheiros
Informações: 11 2339 8586
info@kunsthallesaopaulo.com
www.kunsthallesaopaulo.com

quarta-feira, 24 de julho de 2013

25 de Julho - Dia da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha | Radioagência Nacional

25 de Julho - Dia da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha | Radioagência Nacional
25 de Julho - Dia da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha
Acompanhe a série especial produzida pela Rádio MEC AM do Rio de Janeiro. O primeiro programete recupera um pouco a história de participação política das mulheres negras, a origem da data e políticas públicas de promoção da igualdade
Apresentação Denise Viola



terça-feira, 23 de julho de 2013

Programação de cinema da Biblioteca Temática Roberto Santo

 
Sessão Infantil
*Jornada de Férias*
*Durante a Jornada de Férias, antes de cada filme ou desenho, assistam à exibição de um curta animado do Bob Esponja
 
Diário de um banana 3 - Dia de cão
(Diary of a wimpy kid: Dog days, EUA, 2012, 94 min, dublado, DVD)
Dir.: David Bowers. Elenco: Zachary Gordon, Steve Zahn, Rachel Harris e outros.
Greg está prestes a ter o pior verão de sua vida. Os problemas começam após ser expulso de um clube, o qual costumava ir com frequência com seu amigo, Rowley.  Livre
24 de julho (qua), 15h.        
 
ParaNorman
(ParaNorman, EUA, 2012, 93 min, dublado, DVD)
Dir: Sam Fell.
Norman Babcock é um garoto que consegue ver e falar com os mortos. Entretanto, o único que acredita em suas habilidades é Neil, um amigo excêntrico. Livre
25 de julho(qui), 15h.          
 
Frankenweenie
(Frankenweenie, EUA, 2012, 87 min, dublado, DVD)
Dir.: Tim Burton.
Victor adora fazer filmes caseiros de terror, quase sempre estrelados por seu cachorro Sparky. Quando o cão morre atropelado, ele constrói uma máquina que permite revivê-lo. Livre
27 de julho, (sáb), 16h.

 Sessão Cineclube Ipiranga

Pacto sinistro
(Strangers on a train, EUA, 1951, 103 min, P&B, legendado, DVD)
Dir: Alfred Hitchcock. Elenco: Farley Granger, Ruth Roman e Robert Walker.
Dois desconhecidos se encontram num trem e ambos combinam assassinar cada um a vítima do outro. Assim, não haveria nenhuma conexão entre ambos. +14 anos
27 de julho (sáb), 19h

Mostra: "Anos rebeldes"

As melhores coisas do mundo
(Brasil, 2010, 104 min, DVD)
Dir: Laís Bodanzky. Elenco: Francisco Miguez, Fiuk, Denise Fraga. 
Mano tem 15 anos e adora todas as atividades de um adolescente. Um acontecimento na família faz com que ele perceba que virar adulto nem sempre é tarefa fácil. +14 anos
26 de julho (sex), 19h
 
Gatinhas e gatões
(Sixteen Candles, EUA, 1984, 93 min, legendado, DVD)
Dir: John Hughes. Elenco: Molly RingwaldAnthony Michael Hall.
Samantha não recebeu parabéns de sua família, vive uma paixão platônica, é perseguida pelo garoto mais esquisito da escola e sua irmã vai casar, atraindo para si todas as atenções da família. Livre
28 de julho (dom), 16h
 
Juventude transviada
(Rebel Without a Cause, EUA, 1955, 111 min, legendado, DVD)
Dir: Nicholas Ray. Elenco: James DeanNatalie WoodSal Mineo.
Os pais de Jim Stark sempre se mudam de cidade para encobrir o filho. Mas Jim se envolve em algo realmente sério: se apaixona por Judy, namorada do principal envolvido no caso errado de Jim. +14 anos
28 de julho (dom), 18h

Sessão Nostalgia

Com as horas contadas
(D.O.A., EUA, 1949, 83 min., P&B, legendado, DVD)
Dir: Rudolph Maté. Elenco: Edmondo O'Brien, Pamella Briton e Luther Adler.
Narra o suspense sobre um homem que tenta descobrir quem lhe dera um veneno de ação lenta e prolongada.  +14 anos
24 de julho, (qua), 19h.
                                
Para a última sessão NOSTALGIA do mês de Maio, dia 31, quarta feira às 19h, o público escolhe uma opção entre os três filmes abaixo
 
"A travessia de Paris"
(Dir: Claude Autant-Lara.  com: Jean Gabin e Bourvil, França/Itália, 80 min., 1956 –P&B)
 
"A rainha do Chantecler"
(Dir: Rafael Gil.  com: Sarita Montiel e Alberto de Mendoza,  Espanha, 110 min., 1952 - colorido)
 
"Crimes vingados"
(Dir: Charles F. Haas. com:John Agar, Mamie Van Doren e Richard Boone, EUA, 86min., 1956 - colorido)

Sessão da Tarde

O dia em que a terra parou
(The day the Earth Stood Still, EUA, 2009, 102 min, legendado, DVD)
Dir: Scott Derrickson. Elenco: Keanu Reeves, Jennifer Connelly e Kathy Bates.
Helen Benson é uma cientista que mantém contato com um alienígena que veio à Terra para alertar sobre uma crise global, mas passa a ser ameaçado pela humanidade. +14 anos
26 de julho (sex), 16h
 
 
" ENTRADA GRATUITA"

Link para acesso à programação da BM Roberto Santos no Site:
 
 

terça-feira, 16 de julho de 2013

Simpósio Internacional de Pesquisa em Museologia acontece em setembro

 

De 2 a 5 de setembro, acontece em São Paulo o I Simpósio Internacional de Pesquisa em Museologia. O evento será realizado pelo Programa de Pós-Graduação Interunidades em Museologia da Universidade de São Paulo (PPGMUS/USP) e conta com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura, por meio do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP) e da Associação Cultural de Apoio ao Museu Casa de Portinari (ACAM Portinari).

Com a proposta de divulgar a produção acadêmica da área, estabelecer diferentes níveis de interlocução com as políticas públicas voltadas à proposição e ao gerenciamento de museus, e com a formação profissional, o Simpósio será realizado na Pinacoteca do Estado de São Paulo, no Museu da Língua Portuguesa e na Secretaria de Estado da Cultura, nos dias 2, 3 e 4/8, das 9h às 19h, e dia 5/8, das 9h às 13h.

Além de apresentar os trabalhos acadêmicos, a programação inclui dois cursos de Extensão Universitária gratuitos: "Los Problemas Actuales de La Arquitetura de Museos", com o especialista espanhol Juan Carlos Rico e "Sociomuseologia", com o português Mario Moutinho.

Os interessados em apresentar seus projetos devem inscrever-se e enviar uma sinopse do trabalho até o dia 19 de julho. Para conferir a programação completa e inscrever-se, acesse http://prpg.usp.br/museus.cpg/eventos/mostrar/4207.

domingo, 14 de julho de 2013

Regina Schöpfer Pimenta expõe coleção de aquarelas intitulada "Jogos Luminosos"

 

Com quadros que dão preferência a flores e plantas, a artista exibirá gratuitamente seu trabalho durante o mês de julho no Club Transatlântico

Flor Manacá pintada por Regina Pimenta

Graças a cursos intensivos realizados na Toscana, Itália, a artista plástica Regina Schöpfer Pimenta adquiriu uma enorme habilidade em pintar ao ar livre, com o uso frequente de folhas, flores e verduras em seus quadros. Além disso, as obras da artista são compostas por técnicas de aquarela provenientes de uma exploração de diversos tons de luminosidade e cores. Para conhecer as telas de Regina, basta comparecer à exposição Jogos Luminosos, aberta gratuitamente ao público no Espaço Mezanino do Club Transatlântico até 1º de agosto.

Para Regina Pimenta, a preferência por arranjos florais faz parte de um amadurecimento artístico, visto que tais figuras não possuem referências geométricas tão nítidas. Regina também se inspira em fotografias para compor suas obras e busca constantemente alcançar um estilo próprio que mostre sua essência artística, mas sem excluir a possibilidade de continuar se inspirando em artistas e técnicas distintas.

 

           

Serviço:

Exposição Jogos Luminosos

Local: Club Transatlântico – Espaço Mezanino

Endereço: Rua José Guerra, 130 – Chácara Santo Antônio

Data: Até 1º de agosto, de segunda a sexta-feira

Horário: 9h às 22h

Ingresso: Entrada gratuita

Estacionamento no local: R$ 15,00 o período

Observação: Todas as obras estão à venda

 

 

Reservas e Informações:

Club Transatlântico

(11) 2133-8606 / cultural@clubtransatlantico.com.br