quarta-feira, 16 de julho de 2008

A força da literatura adulta de Monteiro Lobato

Concerto de Leitura

“QUERO AJUDAR O BRASIL”

A força da literatura adulta de Monteiro Lobato

“Porque tenho sido tudo, e creio que minha verdadeira vocação é procurar o que valha a pena ser.” (1928)



O Grupo Cantigas Praianas reverencia o escritor Monteiro Lobato (abril de 1882/julho de 1948), e revisita sua obra para adultos, no Concerto de Leitura que realizará dia 25 de Julho em homenagem aos 60 anos de sua morte.

De Monteiro Lobato, o Grupo selecionou textos tirados dos livros: Urupês, Cidades Mortas, A Barca de Gleyre; Literatura do Minarete, Mr.Slang e o Brasil e Problema Vital, Negrinha e Na Antevéspera.

São fragmentos de cartas, contos e artigos publicados, que revelam o refinado humor, lirismo e inteligência visionária do escritor que tornou possível ao Brasil, a realização de dois sonhos: a siderurgia e a exploração do petróleo.

“Meu plano agora é um só: dar ferro e petróleo ao Brasil.” (1927)

“Depois que me vi condenado a seis meses de prisão (...) só porque teimei demais em dar petróleo à minha terra, morri um bom pedaço na alma.” (1941)

Na leitura de seus preciosos textos, as poetas leitoras Clara Snifer, Cynira Antunes de Moura, Marly Barduco Palma e Neiva Pavesi.

O Grupo Teclas e Flautas em Harmonia apresentará clássicos da MPB.



Dia 25 de Julho de 2008

Sexta-feira às 20 horas

Local: Biblioteca Municipal Mário Faria

Posto 6- Praia Aparecida

Santos/SP



Entrada Franca

Troféu Especial de Imprensa ONU: 60 Anos de Direitos Humanos

UNIC Rio de Janeiro – 14/07/08 - No dia 20 de julho de 2008 será realizado, na Cúria Metropolitana de São Paulo, o lançamento do Troféu Especial de Imprensa ONU: 60 Anos de Direitos Humanos.

Através desta iniciativa – parte das atividades da ONU em comemoração ao 60º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos – todos os jornalistas agraciados pelo Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos desde sua criação, há 30 anos, serão convidados a escolher os cinco profissionais que, na opinião dos cerca de 800 ganhadores das edições anteriores do Prêmio, mais se destacaram na cobertura de assuntos ligados aos direitos humanos no País.

Os cinco vencedores do Troféu Especial de Imprensa ONU: 60 Anos de Direitos Humanos serão anunciados durante a cerimônia de premiação do 30º Prêmio Vladimir Herzog de Direitos Humanos, que acontecerá no dia 27 de outubro, no Teatro Tuca, na capital paulista.

Já no Dia dos Direitos Humanos – comemorado mundialmente em 10 de dezembro – será lançada uma página na Internet onde estarão disponíveis, pela primeira vez, todas as matérias – textos de jornais e revistas, fotografias, reportagens de rádio e televisão -que foram premiadas desde 1978.

Logo após o lançamento será realizado o Concerto Justitiae, oferecido pela Comunidade Coral Luther King, com a regência do Maestro Martinho Lutero e com a participação especial da atriz Eva Wilma, na capela do Colégio Sion.

O Troféu Especial de Imprensa ONU: 60 Anos de Direitos Humanos é uma iniciativa do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio de Janeiro); da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH/PR); do Instituto Moreira Salles (IMS); da Fundação Padre Anchieta (FPA); da Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo; da Comissão organizadora do Prêmio Vladimir Herzog (integrada pelo Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, a Associação Brasileira de Imprensa, a Ordem dos Advogados do Brasil, a Federação Nacional dos Jornalistas, a Ouvidoria das Polícias de São Paulo, a Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo, o Fórum dos ex-Presos e Perseguidos Políticos, e a Família Herzog); do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo (SJSP); da Comunidade Coral Luther King (CCLK); da Maxpress, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NCE/UFRJ), e da OBORÉ Projetos Especiais em Comunicações e Artes.

Serviço
Data: 20 de julho de 2008
15h00 Abertura solene
16h00 Lançamento do Troféu Especial de Imprensa ONU: 60 Anos de Direitos Humanos
Local: Cúria Metropolitana de São Paulo
Avenida Higienópolis 890
São Paulo, SP
18h00 Concerto Justitiae
Local: Capela do Colégio Sion.
Avenida Higienópolis 983
São Paulo, SP

terça-feira, 15 de julho de 2008

Abertas as inscrições de filmes e vídeos para o catálogo da Programadora Brasil

O processo é aberto a obras audiovisuais de qualquer gênero, formato e ano de realização desde que tenham o Certificado de Produto Brasileiro (CPB)

De 18 de julho a 01 de setembro, estarão abertas as inscrições para obras audiovisuais brasileiras no banco de dados da Programadora Brasil. O objetivo da ação é democratizar ainda mais o processo de inclusão de títulos no programa e dar oportunidade para que todos os interessados em ter suas produções no catálogo do projeto disponibilizem as informações e formalizem essa intenção.


As inscrições poderão ser efetuadas por pessoas físicas ou jurídicas, para obras audiovisuais de qualquer gênero, formato e ano de realização, desde que possuam o CPB – Certificado de Produto Brasileiro, emitido gratuitamente pela Ancine – Agência Nacional de Cinema (www.ancine.gov.br). Os títulos devem ter duração mínima de cinco (5) minutos e máxima de cento e vinte (120) minutos, sendo que não serão aceitas séries realizadas para TV.


Para inscrever um ou mais títulos, o responsável deve ler atentamente o regulamento, e concordando com as condições, preencher a ficha de informações do filme no site www.programadorabrasil.org.br e encaminhar uma cópia da obra em DVD para a Cinemateca Brasileira, aos cuidados da Coordenação de Programação e Produção da Programadora Brasil. Os títulos ficarão disponíveis para a consulta da comissão de curadoria.


Em caso de inclusão no catálogo do projeto, os filmes e vídeos serão contratados, sem exclusividade, pelo período mínimo de três anos e serão disponibilizados em DVD para pontos de exibição não-comerciais associados ao projeto, através de um sistema on-line de aquisição. Vale ressaltar que a inscrição não garante a inclusão do título, que pode ou não ocorrer em qualquer prazo.


Atualmente, a Programadora Brasil conta com 330 títulos em seu acervo, que já podem ser adquiridos por seus mais de 550 associados em todos os estados do país. Participe e entre para essa grande rede!




SERVIÇO:

Inscrições de obras audiovisuais para inclusão no acervo da Programadora Brasil

Data: 18 de julho a 01 de setembro de 2008

Endereço: Rua Capitão Macedo, 580, Vila Clementino / CEP 04021-020 - São Paulo - SP

sexta-feira, 11 de julho de 2008

COLÓQUIO INTERNACIONAL - “EDUCAÇÃO E CONTEMPORANEIDADE”

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

PRO-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA

NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO

GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCAÇÃO E CONTEMPORANEIDADE

(EDUCON)


COLÓQUIO INTERNACIONAL

“EDUCAÇÃO E CONTEMPORANEIDADE”

Período de Inscrição:

Com apresentação de trabalho: 11 de agosto de 2008.

Sem apresentação de trabalho: 22 de setembro de 2008.


Inscrição on-line: coloquioeducon@yahoo.com.br


Local e Horários de Inscrição:


Bloco Departamental III, Departamento de Educação, Secretaria, 2ª a 6ª feira, das 9:00 às 12:00 e das 14:00 às 17:00 horas.

Bloco Departamental III, Departamento de Educação, Sala 09 (Educon), 2ª a 6ª feira, das 9:00 às 12:00 e das 14:00 às 17:00 horas.

Reitoria, PROEX, 1º. Andar, Sala Conexão dos Saberes, 2ª a 6ª feira, das 9:00 às 12:00 e das 14:00 às 17:00 horas.

Site: http://br.geocities.com/educonufs/IIcoloquio/index.htm


TAXAS DE INSCRIÇÃO: até 11/agosto após 11/agosto

Estudante de Graduação R$ 15,00 R$ 25,00
Estudantes de Pós-Graduação e R$ 30,00 R$ 45,00
Professores da Educação Básica R$ 30,00 R$ 45,00
Professores da Educação Superior R$ 50,00 R$ 70,00


22 A 24 de Setembro 2008

Local: Campus UFS, São Cristóvão (SE)




EIXOS TEMÁTICOS

1. Educação, Intervenções Sociais e Políticas Afirmativas
2. Educação, Sociedade e Práticas Educativas
3. Educação, Trabalho e Juventude
4. Formação de Professores
5. Ensino de Ciências e Matemática
6. Educação, Cultura e Religião
7. Educação, Memória e Narrativas
8. Tecnologia, Mídia e Educação

CONFERÊNCIAS

Conferência de Abertura: O Professor na Sociedade Contemporânea: Desafios e Contradições
Conferencista: Profº Dr. Prof. Dr. Bernard Charlot (Universidade de Paris 8/ UFS/NPGED/EDUCON)


Conferências de Encerramento: O Docente Etnógrafo da sua Sala de Aula: Por Que e Como?
Conferencista: Prof. Dr. Alain Coulon (Universidade de Paris 8-França). Tradução para o português


MESAS-REDONDAS


Mesa-redonda: Formação de Professores e Identidade Docente
Coordenação: Profº Drª Cristina D’Avila (UFBa/UNEB)

Mesa-redonda: Educação, Cultura e Religião
Coordenação: Profº Drº Josadac Bezerra dos Santos (UFS/DCS)

Mesa-Redonda: Ensino de Ciências e Matemática
Coordenação: Profª Dra. Veleida Anahí da Silva (UFS/DED/EDUCON/NPGED)

Mesa-Redonda: Educação, Trabalho e Juventude na Contemporaneidade
Coordenação: Profª Dra. Ana Maria Freitas Teixeira (UFS/DED/EDUCON/NPGED)

Mesa Redonda: Mídia, Educação e Contemporaneidade
Coordenação: Profª. Dra. Divanízia N. Souza (UFS/DFI/EDUCON)

Mesa-Redonda: Inclusão social na escola , inclusão na sociedade
Coordenação: Profª Dra. Maria Cristina Martins (UFS/DED/EDUCON)

Mesa-Redonda: Sala de aula e desafios no cotidiano
Coordenação:Profª Dra. Maria José N. Soares (UFS/DED/EDUCON/PRODEMA)

quarta-feira, 9 de julho de 2008

"VINGANÇA", UM DOS FINALISTAS NO 36. FESTIVAL DE GRAMADO

O filme "Vingança" está concorrendo com outras cinco produções brasileiras na categoria de melhor longa-metragem nacional no 36. Festival de Gramado que acontece de 10 a 16 de agosto de 2008.

A história tem início com o drama vivido por uma jovem numa pequena cidade do interior do Rio Grande do Sul. Segredos e verdades vêm à tona e uma tragédia parece inevitável.

No elenco Eron Cordeiro, Bárbara Borges, Márcio Kieling, Guta Stresser e Jose de Abreu.

NAIR LÚCIA DE BRITTO

segunda-feira, 7 de julho de 2008

1968: Cenas da Rebeldia




O renomado cineasta carioca Sílvio Tendler será a figura central de debate sobre o tema “1968: Cenas da Rebeldia”, dentro do programa Papo XXI, a realizar-se na próxima terça-feira, 8, às 19 horas, no cineteatro do Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 – 2º andar – Centro – fone: (85) 3464.3108). A entrada é franca.

Nesta edição do Papo XXI, Sílvio Tendler rebobina o filme da memória para ressaltar o comportamento libertário e criativo da Geração 68 no Brasil, que se traduziu na produção de canções, festivais, peças teatrais, exposições e filmes antológicos, além do papel de resistência à ditadura militar, exercida nas ruas pelos movimentos estudantis e as manifestações populares.

Conhecido como o “cineasta dos vencidos” ou o “cineasta dos sonhos interrompidos”, por abordar em seus filmes personalidades como Jango, JK e Carlos Marighella, entre outros, Sílvio é, antes de tudo, um humanista, que já produziu cerca de 40 filmes, entre curtas, médias e longas-metragens.



Memória e reflexão

Seus filmes são resgates da memória brasileira e inspiram seus espectadores à reflexão sobre os rumos do Brasil, da América Latina e do mundo em desenvolvimento. Tendler é detentor das três maiores bilheterias de documentários na história do cinema brasileiro: “O mundo mágico dos Trapalhões” (1,8 milhão de espectadores), “Jango” (um milhão de espectadores) e “Anos JK” (800 mil espectadores).

Nascido no Rio de Janeiro em 1950, Sílvio Tendler é licenciado em História pela Universidade de Paris, e mestre em Cinema e História pela École des Hautes-Études/Sorbonne. Fez especialização em Cinema Documental Aplicado às Ciências Sociais no Musée Guimet/Sorbonne.

É membro-fundador da Fundação Novo Cine Latino-Americano e do Comitê de Cineastas da América Latina, e a seguir presidente da Federação de Cineclubes do Rio de Janeiro e da Associação Brasileira de Cineastas, tornando-se, em 1979, professor do Departamento de Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ).



Documentando a História do Brasil

Em 1988, dirigiu a Fundação Rio (RIO ARTE), e, posteriormente, em 1993, o Centro Cultural Oduvaldo Vianna Filho (Castelinho do Flamengo), instituições vinculadas à Secretaria Municipal de Cultura e à Prefeitura da Cidade do Rio. Dirigiu a TV Brasília, do Grupo Correio Brasiliense, em 1995, e no ano seguinte, em 1996, foi secretário de Cultura e Esporte do governo Cristovam Buarque, no Distrito Federal. Em 1997, assumiu a Coordenação de Audiovisual para o Brasil e o Mercosul da Unesco, organismo vinculado às Nações Unidas voltado para a Educação e Cultura, onde permanece como consultor nesta área.

Silvio Tendler tem vasta experiência em documentar nossa história e nossos personagens. Produziu uma série de documentários que conquistaram inúmeros prêmios e fizeram dele uma referência nacional no gênero. Seus filmes ganharam diversos prêmios em festivais brasileiros como os de Brasília, Gramado e Rio de Janeiro, além de prêmios de instituições como o troféu Margarida de Prata, da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Entrou na seleção oficial do Festival de Cannes com o filme “Glauber O Filme, Labirinto do Brasil” e participou de diversas mostras e festivais internacionais (Europa, América Latina, Estados Unidos e Canadá), mostrando nosso cinema e nossa cultura no Brasil e no mundo. Parte das pesquisas de seus filmes tem origem no volumoso acervo particular de imagens, com cerca de cinco mil títulos sobre a História do Brasil dos últimos 30 anos, sendo, possivelmente, o maior do gênero existente no Brasil.



Debatedoras

Ruth Cavalcante e Mônica Dias Martins atuarão como debatedoras do tema “1968: Cenas da Rebeldia”, apresentado por Sílvio Tendler. Ruth Cavalcante, considerada a musa do movimento estudantil do Ceará em 1968 (tanto pela beleza como pelo espírito libertário), é psicopedagoga pela Escola de Pedagogia Social de Colônia (Alemanha), precursora e especialista em Educação Biocêntrica, didata de Biodança, fundadora e diretora pedagógica do Centro de Desenvolvimento Humano (CDH) e consultora na área de Processos Humanos em escolas, organizações e instituições governamentais.

Mônica Dias Martins, doutora em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC), é professora de Ciência Política da Universidade Estadual do Ceará (UECE), líder do grupo de pesquisa “Observatório das Nacionalidades”, editora da revista “Tensões Mundiais” e autora de artigos sobre os movimentos sociais, publicados nos Estados Unidos, México e Brasil.



Exibição de documentários aos sábados

Também no cineteatro do CCBNB-Fortaleza, o programa Arte e História em Documento traz a mostra “Sílvio Tendler”, exibindo, aos sábados de julho (dias 5, 12, 19 e 26), sempre às 10h15, uma seleção de quatro documentários dirigidos pelo cineasta carioca, cujos filmes são resgates da memória brasileira e inspiram seus espectadores à reflexão sobre os rumos do Brasil, da América Latina e do mundo em desenvolvimento.

Conheça a seguir a programação da mostra:



MOSTRA “SÍLVIO TENDLER”, NO PROGRAMA ARTE E HISTÓRIA EM DOCUMENTO (EXIBIÇÃO DE DOCUMENTÁRIOS) – DIAS 5, 12, 19 E 26 (AOS SÁBADOS), SEMPRE ÀS 10H15



Os Anos JK: Uma Trajetória Política

Dia 05, sáb, 10h15

O filme aborda a História do Brasil: a eleição de JK, o nascimento de Brasília, o sucessor Jânio Quadros que renuncia, a crise política, o golpe militar e a cassação dos direitos políticos de Juscelino. O foco é a trajetória política de Juscelino Kubitschek, o “presidente bossa nova”, popular entre os artistas, que propunha aceleração no desenvolvimento do País rumo à modernidade e a ocupação de um lugar entre as potências mundiais. O filme é referência para estudantes e pesquisadores. Foi visto por 800 mil pessoas e ganhou vários prêmios. Direção de Sílvio Tendler. 110min.



Jango: Como, Quando e Porque se Depõe um Presidente da República

Dia 12, sáb, 10h15

Em 1984, a Campanha das “Diretas Já” mobilizou o Brasil: o povo, personalidades artísticas e políticas em todo o País exigiam democracia. Nessa época, duas obras expressam os anseios do povo brasileiro: o filme “Jango”, de Sílvio Tendler, e uma das músicas de sua trilha sonora, “Coração de Estudante”, de Wagner Tiso e Milton Nascimento, que se tornou o hino das “Diretas Já”. “Jango”, narrado por José Wilker, foca a trajetória de João Goulart que, deposto pelo Golpe de 1964, se tornou o único presidente brasileiro morto no exílio. O filme, visto por um milhão de pessoas, ganhou vários prêmios e está entre os documentários mais importantes do Brasil. Direção de Sílvio Tendler. 117min.



Memória do Movimento Estudantil
Dia 19, sáb, 10h15

A integridade de uma nação está intimamente ligada à preservação da sua história, de sua trajetória política e cultural. Para que o hoje seja inteiro, é preciso que o ontem faça sentido. Por isso foi criado, em 2004, o projeto Memória do Movimento Estudantil, uma realização da Petrobras, em parceria com a Fundação Roberto Marinho, a União Nacional dos Estudantes – UNE, o Museu da República e a TV Globo, que tem como objetivo recuperar e divulgar a história da militância dos estudantes no Brasil. Este DVD é composto por dois documentários dirigidos por Sílvio Tendler: “Ou ficar a pátria livre ou morrer pelo Brasil” e “O afeto que se encerra em nosso peito juvenil”, com 50 minutos de duração, exibidos no cinema, e na TV, no Canal Futura. Direção de Sílvio Tendler. 103min.



Glauber o Filme, Labirinto do Brasil

Dia 26, sáb, 10h15

No dia 22 de agosto de 1981 morreu, aos 42 anos, Glauber Rocha, o artista que deu identidade ao cinema brasileiro. Baiano, cineasta, crítico de cinema, jornalista, pensador de cabeça efervescente, provocador e polemista, seu velório – no histórico Parque Lage, no Rio de Janeiro, reúne, na dor da perda, a inteligência brasileira. “Glauber o Filme, Labirinto do Brasil” é um documentário sobre a vida e a morte de Glauber, um dos brasileiros que mais pensou e amou o Brasil. O velório, filmado em 1981, o enterro, a dor; unidos a depoimentos de quem acompanhou, viveu, admirou, foi amigo e lutou junto com esse mito do cinema nacional, conta mais uma página da história do cineasta, uma história que permaneceu na gaveta durante dezoito anos e que agora ressurge como uma homenagem a este artista revolucionário e solitário. Direção de Sílvio Tendler. 98min.